fbpx
publicidade
𝑝𝘶𝑏𝘭𝑖𝘤𝑖𝘥𝑎𝘥𝑒

Samba de Bumbo Paulista vira patrimônio cultural do Brasil

O sambadeiro Robson Nhô Arruda (de chapéu, ao centro) comanda manifestação de Samba de Bumbo no Museu do Folclore

O sambadeiro Robson Nhô Arruda (de chapéu, ao centro) comanda manifestação de Samba de Bumbo no Museu do Folclore. (Foto: Divulgação)

O Samba de Bumbo Paulista é o mais novo patrimônio cultural do Brasil. O reconhecimento foi aprovado na última quinta-feira (9), em reunião do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

A conquista tem participação direta do CECP (Centro de Estudos da Cultura Popular), organização da sociedade civil de São José dos Campos, responsável pela elaboração de um dossiê sobre este bem cultural. O material embasou o reconhecimento do Iphan.

O CECP é uma instituição sem fins lucrativos responsável por diferentes e importantes projetos como o Museu do Folclore, ligado à cultura popular, e o Ecomuseu dos Campos de São José, que desenvolve a museologia comunitária em 28 bairros da cidade.

Parcerias

O Museu do Folclore é um espaço da Fundação Cultural Cassiano Ricardo, com quem o CECP mantém um termo de colaboração para gestão do espaço e desenvolvimento de programas e projetos durante todo o ano. O museu está instalado no Parque da Cidade desde 1997.

Já o Ecomuseu, é um projeto instituído pelo CECP em 2015, que conta com parceria da Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental, e apoio da Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria de Urbanismo e Sustentabilidade.

O Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural é o órgão colegiado de decisão máxima do Iphan, para questões relativas ao patrimônio brasileiro material e imaterial, criado pela mesma lei federal de 1937, que instituiu o Serviço de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

Caminho certo

O presidente do CECP, Ricardo Savastano, ressalta que a decisão tomada pelo Conselho Cultivo do Iphan é muito gratificante. “O resultado nos premia pelo trabalho realizado e, ao mesmo tempo, mostra que continuamos no caminho certo, iniciado há 25 anos em prol da cultura popular”, enfatiza.

“A pesquisa foi um verdadeiro desafio para a instituição, pois ela ocorreu durante a pandemia e, assim mesmo, conseguimos gerar um dossiê bem encorpado e importante para o patrimônio cultural brasileiro”, enfatiza a historiadora e diretora técnica do CECP, Maria Siqueira Santos.

Ao lado do pesquisador e também historiador Fábio Bueno, Maria foi uma das responsáveis pela elaboração do dossiê do Samba de Bumbo Paulista. “É importante dizer, também, que a realização deste trabalho foi um reconhecimento à capacidade técnica do CECP”, destacou Maria.

De acordo com o presidente do Iphan, Leandro Grass, o trabalho de patrimonialização envolve o entendimento de que o patrimônio e a cultura são elementos que dizem sobre as pessoas. “É necessário fortalecer e valorizar os bens culturais brasileiros, que representam a diversidade das identidades do País.

Botão Voltar ao topo