fbpx
publicidade
𝑝𝘶𝑏𝘭𝑖𝘤𝑖𝘥𝑎𝘥𝑒

Polícia Civil prende suspeito de envolvimento na morte de PM e filha

Agente, de 46 anos, e a filha, de 19, estavam em um carro quando foram abordados por criminosos Por Isabelle Amaral

(Foto: Divulgação/SSP-SP)

A Polícia Civil prendeu, na tarde desta terça-feira (27), o primeiro suspeito de envolvimento na morte do policial militar Anderson de Oliveira Valentim, de 46 anos, e sua filha, Alycia Perroni Valentim, de 19.

O crime ocorreu no último sábado (24), na zona norte de São Paulo, e menos de 24 horas depois a polícia já tinha a identificação dos três envolvidos. Na tarde de hoje, Douglas Pereira Jesus, de 30 anos, foi encontrado em uma via pública aparentemente embriagado.

Segundo o delegado-geral da Polícia Civil, Artur Dian, apesar do suspeito ter sido detido em uma rua, já estava sendo negociada a rendição dele.

“Sabemos que não vai trazer o policial e a filha de volta, uma família foi destruída, não poderia deixar de me solidarizar. Mas quero garantir que não vamos medir esforços para dar prontas respostas em casos absurdos como esses”, afirmou Guilherme Derrite, secretário da Segurança Publica de São Paulo.

O trio foi identificado por meio das digitais deixadas no veículo usado por eles no dia do crime.

“Parabenizo as equipes por estarem no local do crime minutos depois e colherem os materiais genéticos, por isso em menos de 24 horas nós já tínhamos a identidade dos envolvidos”, completou o delegado Dian.

Douglas foi levado ao Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) e, posteriormente, à sede do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP). O suspeito só prestará depoimento amanhã (28).

Ficha criminal

Outros dois suspeitos estão com o mandado de prisão em aberto e ainda são procurados.

De acordo com a Polícia Civil, o bando tem ficha criminal extensa, com diversos roubos praticados, inclusive homicídios, segundo as investigações.

“Eles compõem uma associação criminosa que praticava roubos constantes a estabelecimentos comerciais naquela região”, destacou o delegado Severino Vasconcelos, do Departamento de Homicídios.

A Polícia Civil segue com as investigações para prender os demais envolvidos no crime.

Botão Voltar ao topo