fbpx
publicidade
𝑝𝘶𝑏𝘭𝑖𝘤𝑖𝘥𝑎𝘥𝑒

São Sebastião vai disponibilizar serviço de doulas 24h

(Foto: Jorge Mesquita/PMSS)

Para comemorar o Dia da Doula, a Prefeitura de São Sebastião, por meio da Secretaria de Saúde (SESAU), em parceria com a Fundação de Saúde de São Sebastião e o Centro Gestacional Harmonia para Vida, realizaram um evento na segunda-feira (18), na maternidade do Hospital de Clínicas de São Sebastião (HCSS).

Além da homenagem às profissionais, foi anunciado que os Hospitais de Clínica de São Sebastião do Centro e da Costa Sul contarão com o serviço das doulas 24 horas por dia, tornando efetiva a Lei Municipal nº 2.686/2019.

A coordenadora materno-infantil dos Hospitais de São Sebastião, Maxilene Freitas Oliveira, explicou que o serviço busca acolher a gestante e humanizar o parto.

Maxilene destaca que o prefeito Felipe Augusto e o secretário de Saúde e vice-prefeito, Reinaldo Moreira, aderiram a essa política de cuidados integrativos com a gestante desde a apresentação do projeto.

“É direito da gestante ter uma doula e a gestão municipal investiu na formação de profissionais através de cursos com professoras formadas em nível superior e disponibilizando estágio de 90 a 120 horas para elas atuarem em campo.

Essa ideia vem sendo trabalhada há três anos e demos o acesso às doulas. Somos o primeiro município da região do Vale do Paraíba a contratar uma doula para atuar na rede pública”, complementou Maxilene.

Antes, sempre que solicitado pela parturiente, já era permitida a presença da doula durante todo o período de trabalho de parto e pós-parto, bem como na consulta e nos exames de pré-natal na maternidade e demais equipamentos da rede municipal de Saúde.

Para atender as gestantes, a doula precisa acessar o site do Hospital de Clínicas (www.hcss.org.br), ir nos links “Nossos Serviços” e “Maternidade”, onde encontrará os documentos “Ficha de cadastro da doula”, “Carta de apresentação da doula” (autorização da gestante) e o “Termo de responsabilidade e consentimento para a presença de doulas no pré-parto, centro obstétrico e pós-parto”.

A documentação preenchida deve ser entregue na maternidade no dia da internação da gestante, que já poderá chegar acompanhada por ela. As doulas atuavam de forma voluntária e a partir de dezembro haverá um processo seletivo para a contratação de algumas profissionais.

A enfermeira obstetra e doula Carla Bruço, idealizadora e fundadora do Centro Gestacional Harmonia para Vida, o primeiro do mundo, comemora essa grande vitória, alcançada após muitos anos de trabalho.

Ela explica que a primeira conquista foi a aprovação da lei permitindo a presença de doulas durante o parto. Na sequência, foram realizados dois cursos de formação de Doulas Voluntárias do Sistema Único de Saúde (SUS) e um curso de Formação de Doulas Pós-Parto. “Formamos 50 doulas e comecei o processo para permitir a entrada delas no hospital”, contou.

Carla conta que entrou em contato com a diretoria do hospital e com a enfermeira e o médico responsáveis pela maternidade, explicando a importância do trabalho da doula e demonstrando in loco, junto às gestantes.

“A ideia foi muito bem aceita pelo secretário de Saúde, Reinaldo Moreira e pelo prefeito Felipe Augusto. Todos me apoiaram, pois viram o quanto o trabalho da doula torna o parto mais fácil”, disse a enfermeira. “Fizemos tudo o que precisava, oficial e juridicamente, para nada ser feito sem autorização. A documentação no site fecha o ciclo com chaves de ouro”.

A doula Aline Oshiro acredita que a mudança que muitas pessoas querem ver no mundo e na forma de nascer acontecem, por isso, o trabalho das doulas é tão importante na concepção dela.

“Nós trabalhamos para que o melhor da vida seja mostrado desde o trabalho de parto e que a experiência da maternidade seja positiva para toda a família. São Sebastião está muito à frente por ser a primeira cidade do Litoral Norte a contar com esse serviço via SUS”, explicou Aline Oshiro.

Ana Beatriz Silva de Oliveira, 24 anos, é mãe da pequena Rosa Oliveira dos Santos, de apenas três meses, e contou com todo o acolhimento dos serviços de doula. Ela afirmou que não sentiu dor nenhuma durante o parto.

“Elas me trouxeram muito conhecimento sobre os cuidados que eu deveria ter com o meu corpo durante o processo da gravidez. As doulas me deram muito apoio emocional e me senti muito segura em todos os momentos. Tenho certeza que todas as mães sebastianenses vão sair mais felizes da maternidade depois que as doulas estiverem disponíveis nos hospitais por 24h”, comentou Ana.

Evento
O evento realizado no Centro Gestacional reuniu cerca de 30 doulas e gestantes. Entre as atividades realizadas estão arte gestacional, palestras sobre Ayurveda (medicina alternativa) e a importância da doula na maternidade, lanche, escalda pés, meditação do ventre, conexão com o bebê, afirmações positivas para o parto e dança circular.

O evento contou com a participação de doulas locais, de Guaratinguetá, Salto, Guarujá e Santos. ‌Carla Bruço agradeceu à Prefeitura de São Sebastião por dizer sim às gestantes que, segundo ela, estão gerando futuros cidadãos mais tranquilos, amorosos e inteligentes. “Muito bom poder comemorar mais essa vitória do protagonismo da mulher nessa jornada do nascimento e parto”, diz.

Doula
Doula, que significa “mulher que serve”, é a profissional que orienta e assiste a mulher durante a gestação, o parto, pós-parto e cuidados com o bebê, oferecendo conforto, encorajamento, tranquilidade, suporte emocional, físico e informativo.

O apoio das doulas durante o trabalho de parto promove as seguintes vantagens: menor tempo de trabalho de parto, experiência de parto mais positiva e satisfatória, partos menos dolorosos, menos cesáreas desnecessárias, menor risco de parto com fórceps, recém-nascidos com menos dificuldades respiratórias, menor risco de depressão pós-parto, início mais imediato da amamentação.

“O acompanhamento das gestantes para suporte emocional é um grande fator para minimizar as violências obstétricas, por isso desejo que sejamos muitas no mundo”, conclui Carla.

Botão Voltar ao topo