fbpx

PROERD completa três décadas de orientação e prevenção contra as drogas

Programa da Polícia Militar já formou mais de 11 milhões de crianças no Estado de São Paulo

Programa da Polícia Militar já formou mais de 11 milhões de crianças no Estado de São Paulo. (Foto: Divulgação)

O Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (PROERD) completa 30 anos nesta quinta-feira (30). Nestas três décadas, policiais militares dedicaram seus serviços no desenvolvimento de um conjunto de ações preventivas contra as drogas e a violência, apoiando e orientando crianças e jovens de escolas públicas e privadas e suas famílias.

Em comemoração à data foram realizados três dias de congresso técnico com palestrantes convidados. O evento também contou com a presença de delegações de 12 estados, que aproveitaram o momento para trocarem experiências, visando o fortalecimento do programa.
“As pessoas que trabalham no programa acreditam que podem fazer a diferença para a sociedade”, avalia o coordenador técnico estadual do PROERD, coronel Sanches.
Uma das pessoas que acredita em fazer a diferença na sociedade é a cabo Adriana Lopes da Silva Ferrari, que integrou a primeira turma de praças formada pelo programa em 1997 e, desde então, se dedica na formação de novos instrutores.
Muito emocionada por viver seu último dia na Polícia Militar entes de ir para a reserva, ela fala com orgulho do legado que deixa após 26 anos de dedicação. “O meu desejo é que as pessoas se amem mais, se respeitem mais e que esses policiais militares continuem firmes e fortes, batalhando cada vez mais por isso tudo que a gente plantou, e que a gente possa continuar por mais 30 anos.”
Em 2002 o estado de São Paulo atuou na expansão do PROERD para todos os estados brasileiros, tornando-o um programa institucional em todas as polícias militares do Brasil.
História do PROERD
O PROERD foi implantado 1993, com a primeira turma de instrutores formados na Academia de Polícia Militar do Barro Branco (APMBB). Em 1997 foi estendido para a Polícia Militar, sendo criado, no ano seguinte, o Centro de Treinamento do Programa, desenvolvendo cursos para o estado de São Paulo e, posteriormente, para os outros estados da Federação.
O público-alvo do programa são as crianças e jovens das escolas públicas e particulares, matriculados desde a Educação Infantil até o 7° ano do Ensino Fundamental.
Os materiais utilizados pelos policiais nas aulas são fornecidos pela Diretoria de Polícia Comunitária e de Direitos Humanos (DPCDH). Existem materiais específicos para cada faixa etária, assim como para os pais e instrutores, visando uma abordagem atualizada sobre o problema das drogas e da violência.

Botão Voltar ao topo