fbpx

Avião da Presidência decola de Roma com kits humanitários rumo ao Egito

Avião presidencial deixou a capital italiana rumo ao Egito. Dupla missão é levar ajuda humanitária a Gaza e repatriar brasileiros que aguardam autorização para cruzar a fronteira na região

Avião presidencial deixou a capital italiana rumo ao Egito. Dupla missão é levar ajuda humanitária a Gaza e repatriar brasileiros que aguardam autorização para cruzar a fronteira na região. (Foto: GOV BR / FAB)

A aeronave da Presidência da República que estava em Roma desde a última sexta-feira, 13/10, decolou de Roma às 12h04 desta quarta-feira (18) (7h04 de Brasília) rumo a Al-Arish, cidade egípcia a cerca de 50 quilômetros da fronteira com Gaza.

Na bagagem do voo comandado pelo major Junqueira, 40 purificadores de água e kits de medicamentos e insumos de saúde para ajuda humanitária à população de Gaza. Os purificadores têm capacidade de tratar mais de 220 mil litros por dia. Com tecnologia e fabricação brasileiras, o purificador é portátil e capaz de remover 100% de vírus e bactérias da água.

“Estamos levando suprimentos médicos e purificadores de água como auxílio aos que mais precisam e com a missão de repatriação dos brasileiros e levá-los até os seus familiares. Temos a missão de atuar onde o Brasil precisar”, afirmou o major Junqueira.

RESGATE – Depois de desembarcar os kits humanitários em Al-Arish, o avião segue para a cidade do Cairo e aguarda para repatriar o grupo de 26 brasileiros que estão em Gaza e espera autorização internacional para cruzar a passagem de Rafah, na fronteira com o Egito.

KITS – Conforme informações do Ministério da Saúde (MS), cada kit de assistência humanitária é composto por medicamentos e insumos, como anti-inflamatórios, analgésicos, antibióticos, além de luvas e seringas. Ao todo, são 48 itens em cada kit, somando 267 quilos de materiais. Eles são preparados para atender a populações em situação de emergência em saúde pública.

Os hospitais em Gaza, segundo relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS), enfrentam escassez aguda de suprimentos médicos. Há interrupção do fornecimento de eletricidade e água à Faixa de Gaza e não são permitidas movimentações de alimentos, combustível, saúde e outros fornecimentos humanitários ou pacientes. Para a OMS, os danos causados às infraestruturas de água e saneamento e a superlotação nos assentamentos humanos aumentam o risco de surtos de doenças.

Cerca de 95% da população de Gaza não tem água potável disponível. Devido à extração excessiva do aquífero costeiro e à infiltração pela água do mar e esgotos, a água da torneira é salgada, poluída e imprópria para beber.

Segundo a OMS, uma pessoa precisa de no mínimo 100 litros por dia para beber, lavar, cozinhar e tomar banho — e, em situações emergenciais e de crises, precisa do mínimo de 7,5 a 15 litros por dia. Em Gaza, o consumo médio é de cerca de 84 litros por pessoa. Desses, apenas 27 litros são considerados adequados para uso humano.

CURTO PRAZO — O pedido de assistência humanitária foi recebido na quinta-feira, 12 de outubro, pela Agência Brasileira de Cooperação (ABC), do Itamaraty, coordenadora do sistema de cooperação internacional brasileiro. Demandada pela ABC/MRE, a fabricante nacional de purificadores fez a entrega dos equipamentos em seis horas e sem custo algum.

RUMO A TEL AVIV – Também na manhã desta quarta, a aeronave KC-30 (Airbus A330 200) decolou de Roma, na Itália, às 11h23 no horário local, com destino a Tel Aviv. Na cidade israelense, realiza ainda hoje o sexto voo com brasileiros que serão repatriados. Até o momento, a operação Voltando em Paz já trouxe 916 brasileiros e 24 animais domésticos em cinco voos.

Botão Voltar ao topo