publicidade
𝑝𝘶𝑏𝘭𝑖𝘤𝑖𝘥𝑎𝘥𝑒

Ilhabela: Copa Brasil de Vela entrega troféus aos campeões do ano

(Foto: Divulgação/PMI)

Os vencedores da Copa Brasil de Vela 2023 foram premiados neste sábado (14), data também do último dia da competição que envolveu mais de 80 velejadores em nove modalidades.

Os competidores encararam cinco dias de provas, entre os dias 10 a 14 de outubro, em meio a uma frente fria com rajadas de vento de até 20 nós (cerca de 37 km/h) e possibilidade de chuva a qualquer hora.

O evento da entrega de troféus ocorreu na Escola Municipal de Vela “Lars Grael”, anfitriã da competição. A Copa Brasil de Vela 2023 contou com o apoio da Prefeitura de Ilhabela foi é organizada pela CBVela – Confederação Brasileira de Vela.

As regatas serviram como seletivas para o mundial da juventude 2023, que será em Búzios (RJ), em dezembro e atraíram atletas da nova geração das classes 420, ILCA e IQFOIL. Participaram ainda atletas das classes Optimist, Dingue, Snipe e Finn.

O Prefeito de Ilhabela, Toninho Colucci, participou da entrega dos troféus e agradeceu a contribuição de toda a equipe organizadora e a presença dos velejadores. “Eu quero cumprimentar todos os velejadores presentes, pois são vocês que fazem todo esse evento acontecer. Ilhabela é uma cidade bonita, mas ela fica cada vez mais linda quando tem todos vocês competindo na raia”, disse.

Formação de Atletas

Para o coordenador náutico da Escola Municipal de Vela, Ronilan Rodrigues, o mais importante na competição é mostrar o papel educativo do esporte, a possibilidade de formação de novos atletas e até na geração de renda. “A nossa escola começou lá em 2002 com o núcleo do projeto navegar e nós formamos cerca de 100 atletas por ano.

Em 2005 nós já tivemos o primeiro campeão brasileiro na classe Optimist e logo depois também o campeão na classe Laser 4.7. Esses garotos que começam aqui logo depois acabam indo pra vela oceânica e começam a se autossustentar, com salários e uma carreira no esporte”, reforçou.

Atletas de Ilhabela tiveram destaque na competição, como foi o caso do Felipe Fridrich, de 14 anos, campeão na classe Optimist. “Velejo há sete anos, aprendi aqui e sempre tive apoio da escola, até para participar de competições fora do país. Durante a copa teve só um dia de tempo bom e o resto sempre ameaçando chover. Competi com outros 14 participantes e teve umas regatas que estavam bem acirradas, mas consegui manter a posição”, relatou.

Outro competidor de Ilhabela, Otávio Cardoso, 28 anos, 2º lugar na classe Snipe, reforçou a capacidade de formação de atletas da Escola Municipal de Vela. “Comecei com 10 anos no Optimist e com o tempo fui evoluindo com o Laser, Hobie Cat, fui pro Snipe e até veleiros oceânicos.

Agora tenho velejado só de HPE25 e Snipe, e já consegui ganhar a Semana de Vela, o Paulista, Copa do Brasil e regatas em represas. Se não fosse a Escola de Vela eu provavelmente não seria um atleta, pois eu sempre via os barcos ancorados e tinha até curiosidade, mas eu fazia outros esportes, vim do futebol. Todo mundo da vela em Ilhabela, se não fosse a oportunidade da Escola Municipal, ninguém estaria aqui hoje”, revelou.

Botão Voltar ao topo