fbpx

Escolas em São José trabalham ações e acolhida com projetos socioemocionais

Escolas recém-municipalizadas com a Emefi Henriqueta Costa Porto e a Emefi Suely Antunes de Mello têm exemplos de projetos em que alunos são protagonistas de boas práticas. (Foto: Divulgação/PMSJC)

Na sala de aula, as professoras arrastam as mesas e organizam produtos em prateleiras. Do outro lado, os alunos organizam o dinheiro e fazem o caixa. E assim nasce o Mercadinho Mellinho, mercado de boas ações na Emefi Suely Antunes de Mello, no centro da cidade.

Já na Emefi Henriqueta Costa Porto, no Parque Industrial (região sul), a chegada na escola se transforma em um momento de alegria e celebração. Na “Acolhida Criativa”, os estudantes se divertem decidindo as músicas e organizando apresentações para começar bem o dia em sala de aula e compartilhar talentos com toda a escola.

As escolas da rede de ensino municipal de São José dos Campos trabalham valores de convivência, cultura da paz, habilidades e competências socioemocionais por meio de diversos projetos, com ações que visam o desenvolvimento integral dos alunos, desde a Educação Infantil até o Ensino Fundamental.

A parceria envolve os orientadores educacionais, assistentes sociais, psicólogos e a equipe técnica da Secretaria de Educação.

Os projetos Acolhida Criativa e Mercadinho Mellinho são alguns dos exemplos inspiradores da rede de ensino municipal que atua em 67 Escolas Municipais de Ensino Integral e visam transformar o aprendizado dos alunos com significado unindo aprendizagem, boa socialização, acolhida e novas ideias para a rotina escolar.

Boas-vindas

O portão se abre para as turmas entrarem em mais um dia letivo, mas, antes de irem para as salas, os estudantes fazem fila no pátio e recebem os colegas e professores com carinho e criatividade.

A “Acolhida Criativa” da escola Henriqueta é feita diariamente com apresentações na entrada do período que proporcionam aos alunos liderança positiva, protagonismo infanto-juvenil, escuta atenta, apreciação cultural e a circulação de boas práticas.

“Eu já chego na escola animado com essa recepção. O que eu mais gosto são das aulas, a escola é muito importante para o nosso futuro”, afirma Isac Camargo Ferreira Lima, 9 anos, do 4º ano.

“Esse momento de acolhida é muito legal e importante, porque nós aprendemos juntos e apresentamos”, diz Sofia Soares, 6 anos, do 1º ano.

“Às vezes eu chego desanimada e fico feliz depois da acolhida. A escola é muito importante porque ensina coisas que vamos levar para o resto das nossas vidas”, comenta Aghata Aylla de Souza, 9 anos, do 4º ano.

“A acolhida criativa surgiu entre os professores, com a intenção de receber os alunos de um jeito diferente e carinhoso, trabalhando também o protagonismo e a expressão de talentos.

Percebemos o quanto eles são expressivos, gostam de apresentar músicas, teatro e jograis para os colegas e, dessa forma, alguns se soltam mais, trabalham a criatividade, timidez e o respeito, ao prestigiar o trabalho dos outros, reconhecer e elogiar. Tem sido uma ótima experiência, as famílias e os estudantes aprovam”, afirmou a professora Alexandra Aparecida Chagas Maia.

Mercadinho de boas ações

O projeto foi idealizado pelas professoras do período integral e regular e tem transformado a forma como os alunos dos 5º anos compreendem a dinâmica do dinheiro, melhoram seu interesse em matemática e aprendem a conviver de forma harmônica. Apelidado como “Mercadinho Mellinho”, o projeto tem sido um sucesso entre os estudantes, que se mostram animados com a atividade de contraturno, parte dos Projetos Educadores da Educação Integral.

“Os alunos adoram a ideia do mercadinho, todos ficam muito animados e ansiosos com a dinâmica. Durante as edições nós observamos algumas dificuldades deles em relação ao sistema monetário e incluímos assuntos para as aulas de matemática”, conta a professora Juliana Alves dos Santos, do 5º ano.

“A nossa expectativa com esse projeto é melhorar a convivência em sala de aula e também o rendimento em matemática”, destaca a professora Maria Carolina da Silva.

O Mercadinho está em sua segunda edição, com abordagens em sala de aula de soma e subtração que serão seguidas, nas próximas edições, de trabalhos com porcentagem, descontos e multiplicação. Os alunos são avaliados e durante as aulas recebem moedas referentes às boas ações como forma de incentivo.

O aluno Thiago Quintanilha da Silva foi às compras com 50 reais para escolher um presente para a sua avó, a dona Diva. “Como é aniversário da minha avó hoje vou levar um leque e um lápis de presente, ela vai gostar muito”, comentou.

“Eu tinha muita dificuldade em matemática, mas o mercadinho me ajudou e hoje estou no caixa ajudando meus colegas a contar as cédulas e moedas”, diz Ana Lívia Oliveira Morais.

“Eu gosto muito do mercadinho Mellinho na escola, ele tem me ajudado a conviver com os meus colegas, pois às vezes não é um trabalho tão fácil”, destaca Clayton Vinicius Fernandes Júnior, que afirmou ainda não ter muitas dificuldades nas tarefas de matemática.

Botão Voltar ao topo