fbpx

Lula se reunirá com prefeito de Roma que o visitou na prisão

Ele também se encontrará com presidente italiano e papa Francisco

Palácio Itamaraty em Brasília. (Foto: Marcello Camargo Jr/Agência Brasil)

A agenda do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em Roma, na próxima quarta-feira (21), inclui uma visita ao prefeito da capital italiana, Roberto Gualtieri. O encontro ocorrerá no gabinete da prefeitura, por volta das 16 horas (horário local) e terá um caráter pessoal, segundo o Palácio do Itamaraty, uma vez que Gualtieri foi uma das personalidades internacionais que visitou Lula durante o período em que o ex-presidente esteve preso em Curitiba, entre 2018 e 2019, no âmbito da Operação Lava Jato. Na época da visita, em julho de 2018, Gualtieri exercia mandato de eurodeputado pelo Partido Democrático Italiano.

“É um encontro mais de natureza pessoal. Lembrem que o prefeito de Roma foi uma das personalidades que visitou o presidente Lula, quando ele se encontrava preso, em Curitiba. Isso gerou, naturalmente, uma grande empatia e amizade entre os dois”, destacou a embaixadora Maria Luísa Escorel de Moraes, que é secretária de Europa e América do Norte do Ministério das Relações Exteriores (MRE), em coletiva de imprensa para informar detalhes sobre a viagem presidencial.

Em 2021, o Supremo Tribunal Federal (STF) anulou todas as condenações de Lula e ainda julgou o então juiz responsável pelas ações, o agora senador Sérgio Moro (Podemos-PR), como magistrado suspeito, no caso que ficou conhecido como tríplex do Guarujá. Após a revelação de uma série de mensagens, os ministros do STF consideraram que o juiz adotou uma postura parcial e fez um conluio com o Ministério Público Federal (MPF) nas investigações contra o petista.

Lula embarcou no início da noite da segunda-feira (19) com destino à Europa.

Reuniões bilaterais

O primeiro compromisso de Lula em Roma será uma reunião com o presidente da Itália, Sérgio Matarella, no Palácio do Quirinale, na manhã de quarta-feira (21), seguida de um almoço oferecido pelo anfitrião.

“A Itália é um parceiro estratégico por vários motivos, a começar pelo fato de que, no Brasil, existe uma comunidade descendente de italianos que calculamos na faixa de 30 milhões de habitantes e, portanto, temos um influência da cultura italiana muito significativa. Por outro lado, temos 100 mil brasileiros ou pessoas de dupla nacionalidade vivendo na Itália, e isso já gera naturalmente um intercâmbio e uma necessidade de cooperação entre os dois países”, observou a embaixadora.

Lula e Matarella deverão abordar, durante o encontro, aspecto da vasta agenda econômica bilateral e também sobre os avanços do acordo da União Europeia com o Mercosul.

O Itamaraty informou que, apesar de contatos, não houve confirmação de uma reunião bilateral entre Lula e a primeira-ministra italiana, Giorgia Meloni. Primeira mulher a ocupar o cargo, Meloni é líder do primeiro governo de extrema-direita no país em décadas.

Papa Francisco

O último compromisso de Lula em Roma será um encontro com o papa Francisco, no Vaticano. Na pauta do encontro, um dos temas deve ser os esforços pelo fim da guerra na Ucrânia.

“Ele está muito interessado em acabar a guerra da Ucrânia e da Rússia e eu também quero conversar com ele sobre essa questão da paz”, afirmou Lula durante o programa semanal Conversa com o Presidente, exibido nesta segunda-feira, horas antes do embarque da comitiva.

O combate à fome e as desigualdades sociais pelo mundo também serão tratados com o papa Francisco. Segundo Lula, a perspectiva é de que seja construída uma campanha mundial para abordar o tema. O presidente também afirmou que convidará o pontífice para participar do Círio de Nazaré, uma das principais festas religiosas do país, realizada anualmente, em Belém.

Da Itália, Lula segue para Paris, na França, onde participará como um dos principais convidados da Cúpula para um Novo Pacto Global de Financiamento, evento organizado pelo presidente francês Emmanuel Macron.

Botão Voltar ao topo