fbpx
publicidade
𝑝𝘶𝑏𝘭𝑖𝘤𝑖𝘥𝑎𝘥𝑒

Brasil é o campeão Sul-americano Sub-20

A equipe somou 397 pontos na classificação geral e também foi a primeira nos naipes masculino (206) e feminino (191), à frente da Colômbia

(Foto: Divulgação/CBAt)

O Brasil é o campeão do atletismo sub-20 da América do Sul. A seleção brasileira manteve a hegemonia no continente ao vencer o Campeonato Sul-Americano de Atletismo Sub-20, encerrado no domingo (21), após três dias de disputas, no Estádio El Salitre, em Bogotá, na Colômbia, com 397 pontos, sendo campeã também nos naipes masculino (206) e feminino (191).

A seleção brasileira somou 44 medalhas (15 de ouro, 14 de prata e 15 de bronze) e ainda teve o melhor atleta masculino da competição: Renan Gallina, ouro nos 100 m, com a marca de 10.01 (1.9), recorde do campeonato, brasileiro e sul-americano sub-20.

A TV Atletismo Brasil, canal do YouTube da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), mostrou a competição – com imagens geradas pela Colômbia – ao vivo durante os três dias alcançando a expressiva audiência de mais de 75 mil pessoas, inclusive de vários países da América do Sul e alguns da Europa e Estados Unidos.

A Colômbia, que competiu em casa, foi a segunda colocada na pontuação geral, com 389 pontos e também no masculino (162) e feminino (187). A Argentina veio em terceiro, com 153 no quadro geral de pontuação (70 no masculino e 83 no feminino). A melhor atleta da competição foi Manuela Rotundo, do Uruguai.

O Brasil fez uma campanha muito boa no Sul-Americano com destaque para o paranaense Renan Gallina, de 19 anos, que conquistou a medalha de ouro nos 100 m, com 10.01 (1.9), quebrando um recorde brasileiro e sul-americano que era de Paulo André Camilo (10.18), igualando o recorde brasileiro e sul-americano sub-23, de Erik Cardoso, e a segunda melhor marca da história do Brasil, atrás dos 10 segundos cravados de Robson Caetano, de 1988. Entre os atletas sub-20 é o quinto melhor tempo da história no Ranking Mundial.

“Foi um sucesso porque o Brasil manteve a hegemonia continental. Foi uma competição boa, com bons resultados e destaques nas provas de velocidade, como o Renan Gallina, nos 100 m, e o José Eduardo, nos 110 m com barreiras, com recordes e marca entre as cinco melhores do mundo.

Também os revezamentos foram destaque (com três ouros e duas pratas). Sofremos um pouco nas provas de meio fundo e fundo pela altitude”, avaliou Rodrigo Pereira dos Santos, treinador chefe da equipe masculina. Sandra Crul também foi a Bogotá na função de treinadora chefe do Brasil.

O treinador destacou ainda as performances de Camille Cristina de Oliveira – “que a coloca no oitavo do ranking mundial” – e de Vinícius de Brito, campeões nos 400 m com barreiras – “é um menino que ainda é sub-18 e veio aqui e fez um resultado muito bom”. No lançamento do dardo, citou também Arthur Monteiro Curvo e a sua melhor marca pessoal (66,03 m). “Tivemos grandes resultados na velocidade, nos arremesso e lançamentos e voltamos para casa satisfeitos com a campanha”, concluiu Rodrigo.

“Foi uma grande competição. Fomos uma equipe unida com o objetivo de vencer, tanto no masculino quanto no feminino e conseguimos. A maioria dos atletas fez provas excelentes. Tivemos alguns problemas com a altitude, mas a equipe médica ajudou.

Tivemos o melhor índice técnico com o Renan Gallina. E saímos felizes com o resultado do Brasil campeão”, disse Sandra Crul, treinadora chefe e do velocista Renan Gallina. “Agradeço a estrutura da CBAt, de todos que nos ajudaram, e ao presidente Wlamir Motta Campos, meu amigo. Formamos uma família muito unida”, acrescentou Sandra.

As medalhas do Brasil
Ouro
Alberto Rodrigues dos Santos Filho – arremesso do peso – 17,26 m
Renan Gallina – 100 m – 10.01 (1.9) **
Vinícius Moura Galeno – 400 m – 46.32
Lays Cristina Rodrigues – 100 m com barreiras – 13.76
José Eduardo Mendes da Silva – 110 m com barreiras – 13.41(0.0)**
Matheus de Barros – salto em distância – 7.69 m (-1.9)
Taniele Rodrigues de Jesus – arremesso do peso – 14,46 m
Arthur Monteiro Curvo – lançamento do dardo – 66,03 m
Brasil – Revezamento 4×100 m feminino – 44.81
Camille Cristina de Oliveira – 400 m com barreiras – 57.93
Vinícius de Brito – 400 m com barreiras – 51.98
Luiz Arthur Caetano da Silva – decatlo – 6.855 pontos
Vanessa Sena dos Santos – salto em distância – 6,20 m (0.4)
Revezamento 4×400 m misto – Brasil – 3:22.84
Revezamento 4×400 m masculino – Brasil – 3:11.70

Prata
Suellen Vitória Silva de Sant’Anna – 100 m – 11.62
Aurélio Miguel Leite – salto com vara – 4,90 m
Camille Cristina de Oliveira – 400 m – 54.08
Elias Oliveira dos Santos – 400 m – 46.64
Thiago Resende Ornellas – 110 m com barreiras – 13.41 (0.0)
Brasil – revezamento 4×100 m masculino – 39.80
Amanda Miranda da Silva – 400 m com barreiras – 59.84
Tainara Mees – heptatlo – 5.063 pontos
Camila Flach – lançamento do disco – 47,42 m
Gabriel Porfírio dos Santos – 800 m – 1:52.14
Suellen Vitória Silva de Sant’Anna – 200 m – 23.43 (1.5)
Izabella Lindolfo Neves – salto com vara – 3,50 m
Eron Maciel de Araujo – salto em altura – 2,08 m
Revezamento 4×400 m feminino – Brasil – 3:42.08

Bronze
Vitor Oliveira de Souza – arremesso do peso – 16,33 m
Helena Mees Valério – 1.500 m – 4:46.78
Tainara Mees – 100 m – 11.70
Andreas Lothar Uber Kreiss – salto com vara – 4,80 m
Gabriella Cazoti Barcellos – lançamento do dardo – 40,81 m
Otávio Henrique Vicente – 10.000 m marcha atlética – 48:52.28
Gabriela da Silva Araújo – salto em altura – 1,73 m
Yuri Benites – lançamento do dardo – 59,11 m
Gabrielly Cristina de Oliveira – 10.000 m marcha atlética – 52:18.90
Júlia Marconato Leite – heptatlo – 5.011 pontos
Luise Rosa Braga – 800 m ­– 2:12.17
Marco Túlio Gonçalves – 800 m – 1:52.71
Alberto Rodrigues dos Santos – lançamento do disco – 51,20 m
Gabriela Tardivo – 3.000 m com obstáculos – 12:05.37
Vinícius de Almeida – 3.000 m com obstáculos – 10:15.94

(**) Recorde do campeonato, brasileiro e sul-americano sub-20
(***) Recorde do campeonato, brasileiro e sul-americano Sub-20; recorde sul-americano sub-23

Botão Voltar ao topo