fbpx
publicidade
𝑝𝘶𝑏𝘭𝑖𝘤𝑖𝘥𝑎𝘥𝑒

Embraer fecha acordo com a Royal Jordanian Airlines para oito novos jatos E2

Seis aeronaves – quatro E190-E2 e dois E195-E2 – serão fornecidas pela Azorra

Dois E195-E2 são pedidos firmes da Royal Jordanian para a Embraer. (Foto: Divulgação)

A Embraer (NYSE:ERJ; B3:EMBR3) e a empresa de leasing Azorra divulgaram um novo acordo para oito aeronaves com a Royal Jordanian Airlines. O acordo prevê a introdução dos jatos E190-E2 e E195-E2 na frota da companhia aérea da Jordânia. As entregas devem ser iniciadas no quarto trimestre de 2023.

O acordo totaliza oito jatos comerciais: quatro E190-E2 e quatro E195-E2, a preço de lista de US$ 635 milhões. Seis aeronaves – quatro E190-E2 e dois E195-E2 – são parte da carteira de pedidos firmes da Azorra. Outros dois E195-E2 são pedidos firmes da Royal Jordanian Airlines feitos diretamente à Embraer. Os pedidos da companhia aérea da Jordânia foram adicionados à carteira de pedidos do quarto trimestre de 2022 da Embraer como ‘cliente não revelado’.

Com base no anúncio feito pela Royal Jordanian Airlines (RJ) em outubro do ano passado, no qual a companhia aérea revelou seus planos de expandir a frota com aeronaves de nova geração, o E2 foi escolhido especificamente por seu desempenho excepcional e eficiência operacional. A seleção do E2 está alinhada com os objetivos estratégicos da Royal Jordanian Airlines de renovar e ampliar a frota em operação nos destinos da região do Levante, que inclui países como Israel, Líbano, Síria e a própria Jordânia. O plano estratégico almeja impulsionar ainda mais a posição da companhia aérea como a preferida na região, oferecendo melhor conectividade a uma malha mais ampla e posicionando Amã como a principal porta de entrada do Levante.

“Após extensos estudos de viabilidade, a Royal Jordanian selecionou o E2 da Embraer como o mais adequado para seus objetivos financeiros e estratégicos. A companhia aérea opera aeronaves da Embraer há 15 anos e o E2 reduz significativamente os custos de investimento em treinamento de pilotos e fornecimento de peças de reposição. Além disso, também otimizamos os custos de programação e manutenção de nossa tripulação” afirma Samer Majali, Vice-Presidente do Conselho de Administração e CEO da Royal Jordanian Airlines. “A aeronave também oferece economia de combustível de 25% em comparação com as aeronaves atuais, resultando em custos operacionais menores e reduções significativas de emissões de carbono. Essas variáveis dão suporte para a estratégia e as metas ambientais da companhia. Também estamos satisfeitos em trabalhar novamente com a equipe da Azorra e agradecemos a confiança deles na Royal Jordanian e no E2”, completa.

“Estamos muito satisfeitos em ter a Royal Jordanian como o mais novo cliente de E2 da Azorra. Nossa equipe segue com o relacionamento de longo prazo com a companhia aérea – relacionamento que começou com um jato E175, da Embraer, há mais de uma década. A escolha do E2 pela Royal Jordanian reforça nossa convicção de que este é um próximo passo natural para os atuais operadores do E1. O E2 oferece maior eficiência operacional e menos emissões, enquanto mantém a confiabilidade oferecida pela Embraer”, afirma John Evans, CEO da Azorra.

“Estamos honrados por sermos escolhidos pela Royal Jordanian Airlines para fornecer a próxima geração de aeronaves regionais, uma parte central do principal plano de modernização da frota da companhia aérea”, diz Arjan Meijer, Presidente e CEO da Embraer Aviação Comercial. “A família E2 de jatos de nova geração oferece a aeronave mais silenciosa, menos poluente e com menor consumo de combustível no segmento abaixo de 150 assentos. Temos orgulho de continuar nossa longa relação com a Royal Jordanian e damos as boas-vindas à Azorra para mais um acordo com a Embraer.”

O E195-E2 a ser operado pela Royal Jordanian Airlines terá capacidade para 12 passageiros na classe executiva e 108 na classe econômica. Já o E190-E2 terá o mesmo número de assentos na classe executiva e 80 na econômica. Todas as aeronaves apresentam configuração de assentos 2×2 e assentos na classe executiva, com espaço para as pernas de 53 polegadas. A cabine econômica contará com novos assentos slimline, também em uma configuração de quatro lado a lado, sem assento do meio. A aeronave também possui compartimentos superiores de grandes dimensões, iluminação ambiente, assentos de couro e conectividade sem fio para entretenimento, além de navegação completa na internet e capacidade de comunicação com redes terrestres durante o voo.

Botão Voltar ao topo