fbpx
publicidade
𝑝𝘶𝑏𝘭𝑖𝘤𝑖𝘥𝑎𝘥𝑒

Doação de leite materno une mães no Hospital Municipal em São José

O bebê Noah recebe carinho de Vanessa no colo da mãe Alessandra, doadora ativa do Banco de Leite do Hospital Municipal. (Foto: Divulgação/PMSJC)

Vanessa de Oliveira, Alessandra Coutinho e Ludimila de Paula não se conheciam até o início desta semana. Elas se encontraram no Ambulatório da Mulher do Hospital Municipal na segunda-feira (15) e foi um momento especial para as três.

Rafael, filho prematuro da Vanessa e que está na UTI Neonatal do HM, recebe leite materno do Banco de Leite Humano, que funciona no hospital. Alessandra, mãe do Noah, e Ludimila, mãe do Anthony (ambos de 5 meses), são doadoras ativas do Banco.

Na quinta-feira (19) esse encontro vai se multiplicar. O Banco de Leite vai comemorar o Dia Mundial da Doação de Leite Humano com palestras e um café especial para confraternizar doadoras e recebedoras. São esperadas 90 mães.

O Banco de Leite do Hospital Municipal fornece leite materno para mais de 100 bebês internados em UTIs da cidade, públicas e particulares. A média de doadoras ativas é de 100 mães e a média de produção é de 110 litros por mês.

“É muito bom poder agradecer pessoalmente às doadoras, que ajudam a fortalecer e salvar os bebês prematuros. Rafael é estimulado a mamar, mas tem dificuldade. Por isso ele recebe meu leite e leite doado por elas por meio de sonda”, disse Vanessa.

Para Alessandra e Ludimila, doar sobra do leite materno é uma experiência maravilhosa de transmitir amor ao próximo. “O processo é muito tranquilo e nem precisamos sair de casa”, disse Ludimila.

Como doar

O primeiro passo para a doação é ligar para o Banco de Leite de São José (3901-3507) para se cadastrar e receber orientações iniciais. A próxima etapa é a visita da equipe do Banco na casa da possível doadora para conversar e coletar sangue para exames laboratoriais. Somente após a constatação de que a mãe é uma pessoa saudável começa a coleta.

A equipe leva potes, máscaras e toucas para a casa da doadora e passa para recolher o leite após 7 dias. As mães recebem todas as instruções para fazer o processo dentro dos padrões de higiene exigidos.

No banco, o leite é pasteurizado, passando por temperaturas acima de 60º graus e próximas de 0º. O leite é fracionado para os bebês, prioritariamente os prematuros.

“O processo garante o melhor leite. Por esse motivo não é recomendável que a mãe que tem sobra de leite amamente o filho de uma amiga ou vizinha. O leite dela é produzido especialmente para as necessidades do bebê dela e pode não ser ideal para outra criança”, afirmou a enfermeira Helen Faria, responsável pelo Ambulatório da Mulher e Banco de Leite Humano.

Alerta

Segundo Helen, o estoque do Banco de Leite do HM cai quase pela metade nos meses de junho, julho, dezembro, janeiro e fevereiro. São meses de férias escolares e muitas famílias viajam.

“Para que isso não chegue a comprometer a oferta, trabalhamos muito o ano todo e fazemos tudo que for possível para garantir que nenhum bebê que precise fique sem receber leite materno”, afirmou Helen.

O Hospital Municipal é mantido pela Prefeitura de São José dos Campos e gerenciado pela SPDM (Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina).

Botão Voltar ao topo