fbpx
publicidade
𝑝𝘶𝑏𝘭𝑖𝘤𝑖𝘥𝑎𝘥𝑒

Automóvel Clube confirma etapa do Endurance Brasil como 37ª edição da Cascavel de Ouro

Troféu mais tradicional do automobilismo brasileiro será colocado em disputa no dia 21 de outubro em corrida longa com carros mais velozes do país

Atual presidente do ACC, Edson Massaro promove a Cascavel de Ouro desde 2017
(Foto: Vanderlei Soares/SiGCom)

O troféu mais tradicional do automobilismo brasileiro será posto em disputa em novo ambiente em 2023. Com quase seis décadas de história, a Cascavel de Ouro terá sua 37ª edição realizada no dia 21 de outubro no Autódromo Internacional Zilmar Beux, em Cascavel.

A corrida, com duração estimada de três horas, reunirá os carros mais velozes do país: os protótipos e gran-turismo que formarão o grid da sexta e antepenúltima etapa do Império Endurance Brasil.

A escolha da etapa da competição nacional de longa duração para colocar em disputa o troféu que destaca a serpente confeccionada com 30 gramas de ouro ocorreu durante reunião da diretoria do Automóvel Clube de Cascavel, detentor da marca Cascavel de Ouro.

A corrida terá transmissão ao vivo pelo canal por assinatura BandSports e também nas plataformas digitais da categoria, que realizará uma etapa em Cascavel pela primeira vez desde sua homologação em 2017.

“A Cascavel de Ouro tem uma tradição reconhecida em todo o país e por esse motivo havia mais campeonatos interessados em cumprir os requisitos do Automóvel Clube para realizar a edição de 2023”, observa o piloto Edson Luiz Massaro, presidente da entidade.

“O ineditismo da etapa do Endurance Brasil em Cascavel, a partir da parceria proposta pelos promotores, foi decisivo para a opção que acabamos de formalizar. Vai ser um grande evento”, aposta.

Disputada pela primeira vez em 1967, a Cascavel de Ouro teve hiatos em sua história. “Tivemos períodos até longos sem o evento. A essa história foi retomada com os carros de Marcas 1.6 em 2014, quando o Juraci Massoni presidia o Automóvel Clube, e foi assim até 2020. Um ano depois a Cascavel de Ouro teve um grid maravilhoso formado pelos pilotos da Gold Classic, e no ano passado, pelos da Gold Turismo, com um formato muito dinâmico e até divertido”, relembra Massaro.

Os mais diversos formatos foram experimentados ao longo da história da Cascavel de Ouro. Além de corridas longas reunindo configurações distintas de carros de competição – eventos que formaram a maioria absoluta das 36 edições já disputadas – e também disputas extracampeonato com equipes da Turismo Nacional, as 36 edições realizadas de 1967 a 2022 compuseram etapas dos campeonatos de Super Vê, Fórmula 2, Fórmula 3, GT Brasil, Gold Classic e Gold Turismo.

“São dez anos de realização ininterrupta da Cascavel de Ouro, é o maior período sem que houvesse uma temporada sem que ela acontecesse”, observa Edson Massaro.

“São poucos os centros do automobilismo do Brasil têm um evento histórico que todas as categorias fazem questão de compor, e nós temos a Cascavel de Ouro cumprindo esse papel. Desta vez com os carros cumprindo voltas com mais de 205 km/h de média e uns 260 km/h de velocidade final”, ele destaca.

Botão Voltar ao topo