fbpx
publicidade
𝑝𝘶𝑏𝘭𝑖𝘤𝑖𝘥𝑎𝘥𝑒

Jovem Aprendiz dos Correios: eles contam como programa mudou vidas

Inscrições para o programa encerram-se nesta sexta-feira (21)

A estudante Karyna Isabella Maia, 17, quis ser aprendiz por acreditar que o programa abrirá portas para ela. (Foto: Divulgação/Correios)

O começo da carreira é um momento desafiador, desde a hora de decidir a escolha da profissão até conseguir, de fato, uma vaga no mercado de trabalho. Para ajudar adolescentes e jovens de todo o país a se qualificarem para enfrentar as exigências da vida profissional, os Correios promovem há 13 anos o Programa Jovem Aprendiz, que está com inscrições abertas até sexta-feira (21).

Atualmente, a empresa possui em seus quadros 3.650 aprendizes, mas já passaram pela estatal mais de 31 mil jovens. Para mostrar como o programa tem feito diferença na vida de milhares de estudantes, o Blog dos Correios conversou com três aprendizes que estão próximas de encerrar o período de experiência na empresa. Confira abaixo os relatos das jovens:

Timidez superada
Aos 17 anos, Juliana (nome fictício) iniciou a vida profissional como aprendiz da área de gestão de pessoas dos Correios. Ela relata como a oportunidade dada pela empresa foi importante para a inserção profissional dos jovens no período pós pandêmico. “Por conta do isolamento social, muitos adolescentes como eu foram prejudicados, principalmente na escola, mas os cursos oferecidos pelo Jovem Aprendiz ajudaram muito”, destaca.

A timidez excessiva foi outra dificuldade superada por ela. “As aulas que tive no Senai e a vivência nos Correios me ajudaram a ter mais segurança para falar e me expressar. Hoje faço o lançamento na folha de pagamento das horas extras dos empregados, meu chefe revisa e assina depois. É uma responsabilidade grande”, afirma.

Atualmente, a jovem sonha em cursar psicologia após o término do contrato com os Correios. “O universo da psicologia me atrai porque gosto de aprender sobre o ser humano, quero entender como ele pensa”, conta.

Portas abertas
A estudante Karyna Isabella Maia, 17, quis ser aprendiz por acreditar que o programa abrirá portas para ela. “É uma oportunidade de ganhar experiência. Já passei por três departamentos, não foi muito tempo em cada um, mas já foi suficiente para crescer. Aqui eu trabalho mesmo, aprendo de verdade, e sinto que o eu faço também é importante para a empresa”, orgulha-se.

Orgulho também é o que a jovem diz sentir por ter a passagem pelos Correios marcada no seu currículo. “Trabalhar aqui para mim é uma conquista muito grande. Eu tive essa experiência, sabe? É muito gratificante poder responder: ‘você trabalha?’ Sim, eu trabalho nos Correios”, conclui a jovem que pretende cursar direito e se tornar juíza.

Acolhimento
Para as três aprendizes, a conclusão é unânime: nos Correios, conquistaram não apenas bagagem profissional, mas sobretudo amadurecimento emocional. “Sinto-me acolhida aqui na empresa. A gestão é humana, entende que somos um todo complexo”, conta Beatriz Carvalho, 18, a mais velha delas.

Para Bia, como é carinhosamente chamada pelos colegas, a experiência de trabalhar nos Correios vai muito além da perspectiva laboral. “Os aprendizes dos Correios são como um diamante, sabe? Uma pedra preciosa que não quebra, mas arranha, sofre desgaste, e os Correios entendem isso. É muito bonito esse lado humano da empresa, muitas vezes não temos isso na escola ou em casa”, destaca a jovem.

A gerente corporativa Veronica Hitzschky Bastos confirma a relevância do programa. “É uma iniciativa que vai muito além da obrigação legal, ela faz a diferença tanto para nós, empregados, como para os aprendizes, que aprendem como funciona o mundo corporativo em uma empresa tão grande como os Correios”, conclui a gestora.

Últimos dias – Os interessados em participar do Programa Jovem Aprendiz dos Correios 2023 tem até esta sexta-feira (21) para realização a inscrição. Saiba mais neste link.

Botão Voltar ao topo