fbpx

Balé Giselle abre temporada 2023 do Theatro Municipal do Rio

Espetáculo começa nesta quarta-feira às 19h

(Foto: Divulgação/Carlos Villamayor)

Começa nesta quarta-feira (5), às 19h, a temporada 2023 de balé do Theatro Municipal do Rio de Janeiro (TMRJ) com Giselle, um dos espetáculos mais famosos do mundo, que estreou em 1841, na Ópera de Paris, na França.

Realizada pela Associação dos Amigos do Teatro Municipal, com patrocínio da Petrobras, a temporada de Giselle terá dez recitais, sendo uma apresentação fechada para escolas públicas, com a participação do Ballet e da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal, sob a regência do maestro Jésus Figueiredo.

A classificação é livre e os ingressos podem ser adquiridos na bilheteria ou no site do teatro. Os preços variam de R$ 20 (galeria) e R$ 40 (balcão superior), até R$ 60 (plateia e balcão nobre) e R$ 80 (frisas e camarotes, o ingresso individual).

Depois de anos apresentando produção de Sir Peter Wright, o Ballet do Theatro Municipal (BTM) vai mostrar, nesta temporada, versão baseada na coreografia original de Jean Coralli e Jules Perrot, concebida e adaptada por Hélio Bejani e Jorge Texeira. A iluminação é assinada por Paulo Ornellas, a cenografia é de Manuel Puoci e o figurino de Tânia Ag

O balé conta a história da jovem camponesa Giselle, que é traída e morre de amor. Ela, contudo, volta na forma de uma Willi (espíritos de virgens que morreram antes de se casar e moram na floresta) para vingar-se do amante traidor.

As Willis fazem dançar até a morte os homens que encontram na estrada, altas horas da noite. O balé Giselle é um dos poucos dançados ainda em tutu romântico (saias de bailarinas na altura da panturrilha).

Cena teatral
Para a primeira bailarina do TMRJ, Nora Esteves, professora do Corpo de Baile do equipamento, é sempre uma emoção rever Giselle, papel que apresentou inúmeras vezes, com vários parceiros nacionais e estrangeiros.

“Eu adoro Giselle! É um dos meus balés favoritos de dançar e de ver porque a primeira bailarina tem, em Giselle, a oportunidade de uma cena teatral fortíssima, conhecida no mundo todo, no fim do primeiro ato, como a cena da loucura.

É quando Giselle descobre que o amor dela, que se fazia passar por um camponês, era, na verdade, um príncipe que a traiu e era noivo de uma princesa”, disse Nora à Agência Brasil. “É uma cena maravilhosa de ver, quando é bem-feita, e de fazer, porque é totalmente teatral. Dá margem a personagens distintos, dramaticamente falando. E a música é linda!”, completou.

Nora assistirá os espetáculos dos dias 6 e 12, quando estarão se apresentando duas alunas suas do Corpo de Baile do TMRJ: Marcella Borges e Manuela Roçado.

O Theatro Municipal conheceu Giselle em 27 de outubro de 1913, quando foi apresentado pela Companhia de Bailados Russos de Diaghilev e suas maiores estrelas, Tamara Karsavina e Vaslav Nijinski.

O Corpo de Baile do TMRJ apresentou-o pela primeira vez em 21 de novembro de 1951, com coreografia de Tatiana Leskova, que assumiu também o papel-título.

Data especial
Balé dramático, Giselle tem dois atos, com 45 minutos de duração cada, e intervalo de 15 minutos. Ele será apresentado ao público nos dias 5, 6, 8, 12, 13, 14 e 15, às 19h; nos dias 9 e 16, às 17h; e, no dia 11, às 14h, somente para alunos de escolas públicas.

A presidente da Fundação Teatro Municipal, Clara Paulino, comentou que a temporada 2023 de Giselle é muito especial, porque marcará a última interpretação, no papel principal, da primeira bailarina Claudia Mota.

O diretor artístico do TMRJ, Eric Herrero, informou que os solistas serão, além de Claudia Mota, Márcia Jaqueline, Juliana Valadão, Marcella Borges, Manuela Roçado, Cícero Gomes, Filipe Moreira e Rodrigo Hermesmeyer. “Uma alegria enorme poder oferecer ao público espetáculo de tão alta qualidade artística e técnica”, salientou Herrero.

O maestro Jésus Figueiredo, por sua vez, lembrou que Giselle é a mais conhecida obra do compositor francês do período romântico da música Adolphe Charles Adam, autor de dezenas de óperas e 14 balés, além de muitas canções natalinas. “Adam utiliza formas musicais muito curtas, porém sempre muito bem construídas e bem interessantes e belas”, disse o maestro.

Palestras
Uma hora antes de cada espetáculo, haverá palestra gratuita, realizada no Salão Assyrio do teatro.

Estão programadas no local as palestras: Os criadores de Giselle, com Jayme Chaves e Paulo Melgaço, nesta quarta-feira (5), às 18h; O Romantismo na música e na literatura, com Edvan Moraes e Jayme Chaves, dia 6, às 18h; O Ballet Romântico, com Teresa Augusta e Paulo Melgaço, dia 8, às 18h; Giselle no TMRJ, com Paulo Melgaço, dia 9, às 16h; O simbolismo em Giselle, com Jayme Chaves e Paulo Melgaço, dia 12, às 18h; Sílfides, Willis e o sobrenatural, com Jayme Chaves, dia 13, às 18h; O papel do corpo de baile no ballet clássico, com Vera Aragão, dia 14, às 18h; A magia da cena: cenário e figurino, com Leonardo Bora, dia 15, às 18h; e O símbolo da leveza: a sapatilha de ponta, com Liana Vasconcelos, dia 16, às 16h.

A palestra Descobrindo os personagens, com Ana Botafogo, ocorrerá no dia 11, às 14h, no palco, e será exclusiva para escolas.

Botão Voltar ao topo