fbpx

Via Dutra conta com sistema de pesagem em movimento de caminhões

A previsão de início da operação do novo sistema de pesagem pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) é para março desse ano.

(Foto: Divulgação/CCR RioSP)

A partir deste mês de março, a via Dutra (BR-116), rodovia administrada pela CCR RioSP, passa a contar com a tecnologia de pesagem em movimento, prevista no novo contrato de concessão. Os equipamentos – pórticos com câmeras – já estão instalados e o novo modelo de pesagem, inovador na Via Dutra, está em fase de testes e ajustes nos km 179 da pista sentido São Paulo, em Guararema (SP), no km 0 da pista sentido Rio de Janeiro, em Queluz (SP), no km 307 da pista sentido São Paulo, em Resende (RJ) e no km 223 da pista sentido São Paulo, em Paracambi (RJ).

A previsão de início da operação do novo sistema de pesagem pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) é para março desse ano.

Com a implantação da tecnologia, a balança seletiva existente nos atuais postos de pesagem será desativada, sendo os veículos selecionados para a pesagem de precisão através do sistema de pesagem em velocidade.

O sistema de pesagem em movimento que a CCR RioSP está implantando na Via Dutra traz uma série de benefícios, entre eles, a redução de acidentes e melhor conservação do pavimento, devido à redução de veículos com sobrepeso na rodovia.

Além de contribuir para a redução de longas filas para pesagem, influenciando no fluxo de veículos, e o gerenciamento de tráfego.

Como funciona
Sensores instalados no pavimento e câmeras OCR fazem a classificação, leitura de placas e dimensionamento (altura comprimento e largura) combinados com a leitura das características dos veículos para sua correta classificação e pesagem. Dessa forma, o veículo que estiver dentro do limite de peso permitido para à via segue viagem.

O motorista só é obrigado a entrar no posto de pesagem caso os sensores indiquem excesso de peso. Quando isso ocorrer o motorista será avisado por meio de mensagem em Painéis de Mensagens Variáveis (PMVs).

Todo o procedimento é monitorado por câmeras. Os equipamentos auxiliam a identificar fuga de veículos por meio de imagens panorâmicas e de placas, que caracterizem a infração do veículo que deixou de respeitar sinalização de encaminhamento ao posto de fiscalização.

Botão Voltar ao topo