fbpx

Alunos da Etec desenvolvem projeto para auxiliar pessoas cegas

Estudantes da Etec do Guarujá desenvolveram dispositivo eletrônico que alerta usuário com um sinal sonoro quando ele se aproxima de um obstáculo na altura de sua cabeça ‌

(Foto: Divulgação)

A locomoção em uma grande metrópole pode ser um desafio para os deficientes visuais, principalmente se não houver uma sinalização adequada para aqueles que usam bengala.

Segundo dados do último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de 2010, existem mais de 6,5 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência visual no Brasil e esta é a deficiência mais comum no País, atingindo 3,5% da população brasileira.

Pensando na melhoria da qualidade de vida dessas pessoas, estudantes do Ensino Médio com ênfase em Ciências Exatas e Engenharias da Escola Técnica Estadual (Etec) Alberto Santos Dumont, no Guarujá, litoral sul de São Paulo, criaram o Nicecap.

Trata-se de um dispositivo eletrônico, acoplado a um boné, que emite sinal sonoro ao identificar obstáculos à frente da região da cabeça da pessoa que o utiliza.

Em busca de um projeto para a feira de ciências, os alunos Marco Antonio Lopes, Rafael Funchal e Vitor Henrique Funchal detectaram uma problema que gostariam de resolver, a partir de um vídeo na internet.

Nas imagens, uma pessoa cega, mesmo com a bengala para identificar obstáculos à sua volta, sofre uma colisão com um caminhão por ter a parte superior do corpo desprotegida.

Sob a orientação da professora Aline Patriota, os estudantes passaram a desenvolver um sistema com sensor de aproximação, utilizando a plataforma de prototipagem eletrônica Arduino, que alerta o usuário com um sinal sonoro ao se aproximar de um obstáculo.

O equipamento conta ainda com um aplicativo próprio para personalização. “Esses alunos são ótimos. Identificaram o problema, pensaram em uma solução e foram atrás de algo para ajudar e melhorar a vida dessas pessoas”, explica a docente.

O primeiro passo foi montar um protótipo e criar um código inicial em C++ para interagir com o sensor, os leds, o alto-falante e o Arduino. Logo em seguida, surgiu a ideia de desenvolver o aplicativo para customizar as funções do dispositivo de forma intuitiva.

Com o objetivo de melhorar a aparência, deixar o circuito mais compacto e o sistema mais eficiente, os estudantes fizeram um avanço no dispositivo e imprimiram uma case na impressora 3D, resultando na versão 2.0 do projeto.

O Nicecap: Por um mundo mais acessível é um dos 10 finalistas da 14ª Feira Tecnológica do Centro Paula Souza (Feteps).

“Estamos confiantes em obter uma boa colocação na Feteps. Agora estamos estudando formas de colocar o app no ar e buscando parcerias para que sejam produzidos mais dispositivos.”, conta Vitor Henrique, um dos integrantes do grupo.

Botão Voltar ao topo