fbpx

Operação Carnaval: Redução de quase 40% do número de furtos e roubos de celulares

Foram feitos 595 registros de boletins de ocorrência com celulares recuperados e devolvidos para as vítimas

(Foto: Amanda Ramos/SSP)

Os registros de roubos e furtos de celulares no período do Carnaval, entre os dias 18 e 21 de fevereiro, caíram aproximadamente 40% em comparação com 2020. Foram 3.486 casos neste ano contra 5.450.

Nesse período foram registrados 595 boletins de ocorrência com celulares recuperados e devolvidos aos proprietários.

“A gente estimou que 15 milhões de pessoas participaram ao todo do Carnaval. Em uma estimativa baixa, nós tivemos cerca de 15 milhões de aparelhos celulares transitando durante a operação Carnaval para o número de 3.486 roubos e furtos.

Claro que a nossa média sempre redução. Claro que nos próximos anos a gente vai estudar maneiras de reduzir ainda mais este número”, falou o secretário da Segurança Pública, Guilherme Derrite.

Uma das ações que possibilitou na redução desses dados foi a Operação Adaga, realizadas por policiais militares que entre os dias 02 e 10 de fevereiro retiraram das ruas 1.089 criminosos procurados pela Justiça.

Além disso, o trabalho policial possibilitou na prisão de 629 pessoas. Os policiais militarem atuaram também na fiscalização de 70 trios elétricos, na apreensão de 1,8 toneladas de drogas e 40 armas. Cerca de 52 mil veículos foram vistoriados e realizados 14.174 pontos de estacionamento.

“Estamos muito contentes com a operação Carnaval. Nós estamos com a percepção de que ela foi um grande sucesso e ainda não concluiu.

No próximo final de semana nós continuamos com a operação, mas já podemos apresentar uma perspectiva bastante positiva para todos os senhores e senhoras”, disse o comandante geral da Polícia Militar, coronel Cássio Araújo de Freitas.

Operação Carnaval 2023

Durante todo o carnaval, a segurança no Estado de São Paulo foi reforçada. Para isso, foram mobilizados aproximadamente 14 mil policiais por dia nas ruas, 4,5 mil viaturas, além de 518 cavalos, 283 cães, 24 aeronaves e mais 168 drones, além de pontos de revistas e policiais infiltrados nos blocos até o dia 26 de fevereiro.

As ações tiveram foco em áreas urbanas, rurais, rodovias estaduais, áreas litorâneas e estâncias turísticas. Os distritos policiais também contaram com reforço operacional durante todo o período.

As DDMs (Delegacia de Defesa da Mulher) da cidade de São Paulo, permaneceram abertas, exceto à 3ªDDM e a 9ªDDM, assim como equipes das especializadas do DEIC, DHPP.

Uma delegacia móvel da Deatur (Divisão Especial de Atendimento ao Turista) foi colocada no sambódromo e nos blocos de carnaval. Também foram colocados policiais à paisana com objetivo de flagrar furtos, especialmente os de celulares.

Todo o efetivo atuou para aumentar a percepção de segurança e inibir a prática de crimes, como roubos com a utilização de motos e atuação das “quadrilhas do PIX”, especialmente em locais de grande fluxo de pessoas, como rodovias, praias, restaurantes, bares, áreas de comércio popular, bem como imediações de shoppings e bancos. A operação vai até o dia 26 de fevereiro.

Botão Voltar ao topo