Billabong pro Pipeline abre o WSL Champioship Tour 2023

Filipe Toledo no Billabong Pro Pipeline 2022 (Foto: @WSL / Brent Bielmann)

A temporada 2023 do World Surf League (WSL) Championship Tour (CT) 2023 será inaugurada no final deste mês, no Billabong Pro Pipeline, no North Shore da ilha de Oahu, no Havaí.

O prazo para a primeira apresentação dos melhores surfistas do mundo, começa no dia 29 de janeiro e vai até 10 de fevereiro, nos tubos de Banzai Pipeline.

Será a primeira das 10 etapas que definirão os top-5 e as top-5, para disputar os títulos mundiais no Rip Curl WSL Finals.

A expectativa é ainda maior este ano, pois Pipeline também abre a corrida por vagas para as Olimpíadas de Paris 2024. Todas as etapas serão transmitidas pelo site da WSL e pelos canais SporTV.

Diferente do ano passado, a seleção brasileira da WSL estará completa, com seus 11 titulares competindo desde os primeiros desafios no Havaí. Em 2022, Gabriel Medina e Yago Dora não participaram da primeira metade da temporada, mas já estão escalados no Billabong Pro Pipeline.

Eles e, também, os que garantiram suas permanências na elite, o atual campeão mundial Filipe Toledo, o vice-campeão Italo Ferreira, os irmãos Miguel e Samuel Pupo, Caio Ibelli, Jadson André, Tatiana Weston-Webb, além dos dois classificados pelo Challenger Series, João Chianca e Michael Rodrigues, que substituirá Deivid Silva no time deste ano.

CAMPEÕES MUNDIAIS – No Billabong Pro Pipeline, Filipe Toledo e Stephanie Gilmore farão suas primeiras defesas dos títulos mundiais conquistados no Rip Curl WSL Finals do ano passado, em Lower Trestles, na Califórnia, Estados Unidos.

Filipe festejou o seu primeiro troféu de campeão mundial, enquanto Stephanie ganhou o oitavo dela, se tornando a recordista absoluta entre as mulheres, superando os sete da também australiana Layne Beachley.

Agora, Stephanie Gilmore só fica atrás dos onze do cinquentão Kelly Slater, que vai defender o título do Billabong Pro Pipeline, que ele venceu pela oitava vez no ano passado. Um total de oito participantes do WSL Championship Tour 2023, já conquistaram títulos mundiais.

O tricampeão Gabriel Medina e o bicampeão John John Florence, ficaram de fora por problemas médicos em 2022 e voltam com força total esse ano. Além deles e de Kelly Slater, tem o defensor do título, Filipe Toledo, o campeão olímpico, Italo Ferreira, a octacampeã Stephanie Gilmore, a pentacampeã Carissa Moore e a bicampeã Tyler Wright.

NOVIDADES NA ELITE – O World Surf League Championship Tour 2023 terá oito novidades na elite mundial. Uma delas é o cearense Michael Rodrigues, que fez parte deste seleto grupo em 2018 e 2019. A australiana Macy Callaghan também está de volta, depois de sair da elite em 2021.

Outros seis surfistas estão entrando na lista dos melhores do mundo pela primeira vez, a norte-americana Caitlin Simmers, a australiana Sophie McCulloch, o francês Maxime Huscenot, o havaiano Ian Gentil e dois representantes de países que vão estrear na elite mundial do CT, Rio Waida da Indonésia e Ramzi Boukhiam de Marrocos.

E a primeira participação destes novos integrantes será no maior palco do esporte. Localizada no North Shore da ilha de Oahu, Banzai Pipeline é uma das ondas mais icônicas e desafiadoras do mundo, conhecida por seus tubos rápidos e poderosos quebrando sobre uma rasa e perigosa bancada de corais. Em 2023, será a 42.a vez que uma etapa válida pelo título mundial, será disputada nos tubos de Banzai Pipeline.

CICLO OLÍMPICO – O Billabong Pro Pipeline também vai abrir a corrida por vagas para as Olimpíadas de Paris 2024. O WSL Championship Tour 2023 é o principal caminho do Ciclo Olímpico para os melhores surfistas do mundo.

Dos 48 atletas que disputarão as medalhas do surfe nos Jogos de Paris, 18 (10 homens e 8 mulheres) serão indicados pelo ranking final das dez etapas da temporada, que começa no Havaí e termina em agosto no palco das próximas Olimpíadas, nos tubos de Teahupoo, no Taiti.

O Billabong Pro Pipeline será realizado com patrocínio da Billabong, Pacífico, Apple, Yeti, 805 Beer, Red Bull, Shiseido, Craft 1861, Turtle Bay, True Surf, Sambazon, Spectrum, Puravida, Surfline e Surf Shack. O prazo começa em 29 de janeiro, vai até o dia 10 de fevereiro e a competição será transmitida pelo site da WSL e pelo Aplicativo e Canal da WSL no YouTube. No Brasil, todas as etapas do World Surf League Championship Tour também passarão ao vivo nos canais do SporTV e no Globoplay.

PRIMEIRA FASE DO BILLABONG PRO PIPELINE:

1.o e 2.o=Oitavas de Final / 3.o=Segunda Fase:

1.a: Miguel Pupo (BRA), Nat Young (EUA), Ian Gentil (HAV)

2.a: Kanoa Igarashi (JPN), Jake Marshall (EUA), João Chianca (BRA)

3.a: Ethan Ewing (AUS), Kolohe Andino (EUA), Liam O´Brien (HAV)

4.a: Jack Robinson (AUS), Jadson André (BRA), Ezekiel Lau (HAV)

5.a: Italo Ferreira (BRA), Seth Moniz (HAV), Imaikalani Devault (HAV)

6.a: Filipe Toledo (BRA), Jackson Baker (AUS), Joshua Moniz (HAV)

7.a: Griffin Colapinto (EUA), Barron Mamiya (HAV), Michael Rodrigues (BRA)

8.a: Caio Ibelli (BRA), Kelly Slater (EUA), Ramzi Boukhiam (MAR)

9.a: Connor O´Leary (AUS), Jordy Smith (AFR), Maxime Huscenot (FRA)

10: Samuel Pupo (BRA), Matthew McGillivray (AFR), Rio Waida (IDN)

11: Callum Robson (AUS), Yago Dora (BRA), Ryan Callinan (AUS)

12: John John Florence (HAV), Gabriel Medina (BRA), Leonardo Fioravanti (ITA)

PRIMEIRA FASE — 1.a e 2.a=Oitavas de Final / 3.a=Segunda Fase:

1.a: Tatiana Weston-Webb (BRA), Caroline Marks (EUA), Sally Fitzgibbons (AUS)

2.a: Carissa Moore (HAV), Bettylou Sakura Johnson (HAV), Teresa Bonvalot (PRT)

3.a: Stephanie Gilmore (AUS), Macy Callaghan (AUS), Moana Jones Wong (HAV)

4.a: Brisa Hennessy (CRI), Isabella Nichols (AUS), Sophie McCulloch (AUS)

5.a: Lakey Peterson (EUA), Gabriela Bryan (HAV), Caitlin Simmers (EUA)

6.a: Courtney Conlogue (EUA), Tyler Wright (AUS), Molly Picklum (AUS)

Botão Voltar ao topo