Treze equipes de oito Etecs estão na semifinal do Desafio Liga Jovem

Identificar um problema na escola ou na comunidade e propor a solução via aplicativo, site, jogo eletrônico ou mídias sociais foi o desafio proposto pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e pelo Instituto Ideias de Futuro aos alunos de todo o Brasil. Puderam participar jovens matriculados do 9º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio.

Os números são altos: mais de 5 mil alunos inscritos, 600 projetos avaliados (sempre criados em equipes de dois a cinco alunos, em formato de vídeo curto) e 100 semifinalistas, anunciados no dia 10 de janeiro.

No Estado de São Paulo, dos 21 projetos semifinalistas, 13 são da lavra de 8 Escolas Técnicas Estaduais (Etecs). Só a Etec Abdias do Nascimento, de Paraisópolis, na Capital, conquistou três vagas para concorrer na próxima etapa. As unidades de Praia Grande, Jardim Ângela e Zona Leste – estas duas últimas localizadas na Capital – levam dois projetos cada para a semifinal; Etecs de Mauá, Antonio Devisate (Marília), Monte Mor e Prof. André Bogasian (Osasco) também estão no páreo com um projeto de cada.

As equipes da Etec Abdias Nascimento projetaram aplicativos de celular com finalidades bem diferentes: criar uma rede de troca de livros, com a colaboração de sebos, editoras e livreiros para facilitar o acesso dos estudantes à leitura; colocar em contato empregadores e candidatos a vagas de TI que pertençam a minorias – mulheres, pessoas pretas e público LGBTQIA+; ajudar o público jovem a ter domínio sobre as finanças, sabendo aplicar, poupar e se organizar.

Na rodada semifinal, que acontecerá na Capital entre os dias 20 e 25 de março, os integrantes de cada equipe apresentam as ideias, desde a identificação do problema a ser resolvido até a finalização do projeto, o impacto sobre o público-alvo e sua viabilidade financeira.

Stephany Martins Conceição, professora do curso de Desenvolvimento de Sistemas da Etec Abdias do Nascimento e orientadora das equipes da unidade, se entusiasma com as possibilidades que vão além da premiação: “Nesse tipo de competição, a banca examinadora é formada por especialistas e por empresários que podem se interessar pelo que será apresentado pelos estudantes. Há uma possibilidade real”, avalia.

A premiação é atraente: as seis equipes vencedoras farão um tour de dez dias pelas melhores empresas de tecnologia de Madrid, na Espanha. Com tudo pago, naturalmente.

Botão Voltar ao topo