Governo de SP determina desmobilização de acampamentos no estado

Polícia Militar atua desde o final de semana no controle das manifestações e desobstrução de vias, segundo determinação judicial do TSE

Em coletiva de imprensa, o secretário falou sobre as manifestações no estado e as medidas de enfrentamento das polícias. (Foto: Amanda Ramos/SSP/SP)

O Secretário da Segurança Pública do Estado de São Paulo, Guilherme Derrite, anunciou que as forças de segurança estaduais adotarão ações para desmobilizar os acampamentos instalados nas proximidades de quartéis do Exército e sede de poderes.

A fala se deu na manhã desta segunda-feira (09), durante coletiva de imprensa realizada na sede do Centro de Operações da Polícia Militar (Copom). As policias cumprirão a determinação judicial do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

“As ações que aconteceram em Brasília não têm similaridades com as manifestações aqui em São Paulo. Nós temos um cenário de tranquilidade”, disse Derrite.

Um gabinete de crise foi instalado neste domingo (8), também no Copom, e contou com a presença do Governador Tarcísio de Freitas, além de todo alto comando da PM e o Delegado-Geral, Artur Dian, para monitorar as manifestações existentes e futuros atos. O policiamento foi reforçado nas sedes dos poderes como forma de prevenção. A Polícia Militar atua desde o final de semana no controle das manifestações e desobstrução de vias que aconteceram em alguns locais do Estado.

Na manhã de hoje (9), o secretário sobrevoou, com o helicóptero Águia da PM, os principais pontos de bloqueios, como a Rodovia Castello Branco, Anhanguera, Bandeirantes, assim como na Central de Distribuição da Petrobras. Todas as vias estavam liberadas. Os serviços de inteligência da PM e PC acompanham todas as manifestações.

No quartel do Comando Militar do Sudeste a desmobilização já começou. “Assim que chegou ao nosso conhecimento a ordem judicial do Ministro da Suprema Corte, equipes foram empregadas para dar cumprimento à decisão. Será informado aos manifestantes, através do diálogo, que existe uma ordem judicial de desmobilização dos acampamentos”. Derrite garantiu que a desmobilização acontecerá dentro do prazo estipulado de 24 horas, de forma pacífica.

Botão Voltar ao topo