fbpx
publicidade
𝑝𝘶𝑏𝘭𝑖𝘤𝑖𝘥𝑎𝘥𝑒

Delegação de países da América Latina participará do 13º Congresso Brasileiro do Algodão

Representantes de países parceiros do projeto +Algodão terão a oportunidade de ampliar seus conhecimentos e habilidades e trocar experiências para fortalecer o setor algodoeiro em seus países. (Foto: Palova Brito/FAO)

Representantes de governos, associações do setor algodoeiro e pesquisadores de países parceiros integram a delegação do projeto +Algodão que participará do 13º Congresso Brasileiro do Algodão (CBA), na cidade de Salvador, Bahia, de 16 a 18 de agosto. Composta por cerca de 45 pessoas, esta é a quarta vez que o projeto participa do CBA, maior evento do Brasil sobre o setor algodoeiro. Nesta edição o tema central é “Algodão brasileiro: desafios e perspectivas no novo cenário mundial”.

Os representantes da Argentina, Bolívia, Colômbia, Equador, Paraguai e Peru terão a oportunidade de ampliar seus conhecimentos e habilidades nos temas de inovação e tecnologias agrícolas, agricultura familiar, ruralidade e sustentabilidade na produção agrícola do algodão por meio de grupos de trabalho e minicursos que acontecerão durante os três dias do congresso.

Para a coordenadora regional do projeto +Algodão pela FAO, Adriana Gregolin, o CBA é uma oportunidade única para se conhecer o que há de mais atual na cadeia de valor do algodão. “Com uma delegação de mais de 40 representantes de países latino-americanos parceiros do projeto, a FAO e a ABC/MRE aguardam com expectativa o Congresso”, disse.

O 13º CBA também é um espaço para a apresentação de trabalhos científicos (posters). A delegação latino-americana do projeto +Algodão apresentará 24 experiências científicas dos países sobre a cadeia de valor do algodão.

O projeto +Algodão é uma iniciativa de cooperação sul-sul trilateral executada de maneira conjunta pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), a Agência Brasileira de Cooperação dos Ministérios das Relações Exteriores (ABC/MRE) e os governos dos países parceiros, no âmbito do Programa de Cooperação Internacional Brasil-FAO.

Trabalho conjunto – O projeto também participa junto com a ABC/MRE, a Organização Internacional do Trabalho (OIT), o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e o Programa Mundial de Alimentos (WFP) em um estande onde os visitantes poderão ver os materiais impressos dos projetos, mapas dinâmicos e informações gerais sobre cada uma das iniciativas de cooperação sul-sul desenvolvidas na América Latina e na África para fortalecer o setor algodoeiro.

Uma das iniciativas inovadoras em comunicação digital do projeto +Algodão é o aplicativo LazosApp, que os visitantes do estande poderão conhecer e baixar em seus telefones (disponível na Play Store). O LazosApp foi concebido em forma de rede social para unir todo o setor algodoeiro da América Latina, oferecendo a oportunidade de criar redes temáticas sobre o tema do algodão sustentável. O aplicativo foi desenvolvido para promover a inclusão digital, a criação de comunidades virtuais para troca de conhecimento, boas práticas e informações-chave para a gestão do conhecimento voltada para a população rural.

Painel temático – O projeto +Algodão participará de um dos painéis temáticos do Congresso, que pretende responder se a cultura do algodão é econômica e socialmente viável para a agricultura familiar. O painel acontece no dia 17 de agosto, às 14h30. A coordenadora regional do projeto apresentará um breve panorama das experiências de produção de algodão em pequena escala nos países da América Latina. Pesquisadores da Embrapa Algodão apresentarão a experiência da mecanização para a agricultura familiar e o representante da Cooperativa dos Produtores Rurais de Catuti comentará sobre a importância da organização como fator de sucesso na produção do algodão.

Sobre – O projeto +Algodão, implementado desde 2013, promove sistemas de produção sustentáveis e inclusivos, numa perspectiva abrangente da cadeia de valor do algodão para promover o desenvolvimento rural, promovendo a agregação de valor, o comércio justo e o sistema agro têxtil. Por meio do projeto, são geradas oportunidades para trocar conhecimentos e experiências, promoção de acesso a mercados, inovações tecnológicas e gestão agrícola.

Botão Voltar ao topo