fbpx
publicidade
𝑝𝘶𝑏𝘭𝑖𝘤𝑖𝘥𝑎𝘥𝑒

Yuri Mansur e Marlon Zanotelli estão na final individual no Mundial 2022

A campeã olímpica Suécia faturou o título por equipes e ao lado da Holanda, prata, Grã-Bretanha, bronze, e outros três países está habilitada para Paris 2024. Brasil fecha em 9º. Yuri ocupa o 7º posto e Marlon, o 23º, entre os top 25 da final individual

Yuri e QH Alfons do Santo Antonio vem com tudo para final individual. (Foto: Luis Ruas)

Na sexta-feira, dia 12, teve decisão por equipes no Mundial 2022, em Herning, na Dinamarca.

Abrindo a rodada do Time Brasil, o atual campeão pan-americano e nº 5 do mundo Marlon Zanotelli com Like a Diamond van Het Schaeck, a recente dupla campeã do GP5* no Global Champions Tour em Paris, repetiu o resultado da 1ª volta da final por equipes, na quinta-feira, 11, com um leve toque no meio triplo. Ao final, a dupla fechou em 23º lugar, com 10,60 pontos, ficando entre os top 25 rumo à final individual.

Segundo brasileiro em pista, Yuri Mansur com QH Alfons Santo Antonio, melhor dupla do Brasil nos Jogos Olímpicos 2021 e recentemente no CHIO Aachen 2022, deu show de categoria, fechando sem faltas nos obstáculos com apenas dois pontos perdidos.

Com o resultado, Yuri e QH Alfons Santo Antonio, de propriedade de Francisco Brandão, fechou com 5,65 pontos carimbando seu passaporte para final individual em 7º lugar a 5,07 pontos do líder sueco Henrik von Eckermann com King Edward, 0,58 pontos.

Fechando a rodada do Time Brasil, Pedro Veniss com Nimrod de Muze Z fez duas faltas e o Brasil, que não teve direito a descarte com o resultado de Bernardo e Mosito van het Hellehof, que não finalizou os dois primeiros dias de prova.

As cinco primeiras equipes habilitam para Paris 2024 e a França, por ser país sede, independente do resultado, já tem vaga garantida. Sagrou-se campeã a Suécia, ouro em Toquio 2020+1, com grande diferença e sem precisar colocar em pista seu quarto conjunto.

Assim carimbaram o passaporte de seus países para Jogos Olímpicos: Suécia, 11,6 pontos, Holanda, vice, 19,31, Grã Bretanha, 22,66, Irlanda, 23,15, Alemanha, 24,76, França, 24,4, 6ª e já qualificada.

A Bélgica chegou em 7º, 26,49 pontos, seguida pela Suíça, 26,83, Brasil, 32,29, Canadá, 43,56, completando o placar dos 10 melhores de 22 times que largaram na competição.

Com o resultado, o Brasil – hexacampeão pan-americano – vai buscar a vaga em Paris 2024, no Pan de 2023, em Santiago, no Chile, onde os três melhores países também irão se garantir nos Jogos de Paris. Antes porém, em outubro próximo, o Brasil busca a vaga no Pan nos Jogos Sul-americanos – Odesur 2022.

Regras do jogo

A final individual, a 1.65m, dois percursos, rola no domingo, 14/9, a partir da 9h00 (fuso brasileiro).Entram na 1ª volta os 25 melhores do Campeonato (soma de todos os percursos) e na 2ª os 12 melhores da 1ª volta. Todas as disputas têm transmissão ao vivo pelo canalolímpicodobrasil.com.br

Retrospectiva do Brasil nos Mundiais

O Salto é a única modalidade no atual formato de Mundiais que o Brasil conquistou medalha com o ouro individual de Rodrigo Pessoa montando Gandini Lianos em Roma 1998.

Participando de todas as oito edições, desde 1990 na Suécia, o Time Brasil soma duas vezes o 4º lugar (The Hague, Holanda, em 1994 e Kentucky, Estados Unidos, em 2010); duas vezes o 5º lugar (Roma 1998 e Normandia 2014); 8º em Estocolmo, Suécia, em 1990; 9º em Jerez de La Frontera, Espanha, em 2002, 10º em Aachen, Alemanha, em 2006 e 14º em Tryon, Estados Unidos, em 2018.

Botão Voltar ao topo