Pró-júnior é destaque na final do Circuito Brasileiro de Surf Feminino em Ubatuba

Share:
Surfista MajuFreitas no Brasileiro Surf (Foto: Daniel Smorigo)

A nova geração terá um título muito importante no próximo final de semana, com a definição da nova campeã brasileira pro-júnior. A categoria para atletas com até 18 anos de idade vem ganhando força entre as meninas, é considerada um último degrau para aquelas que querem seguir como profissionais, e será uma das atrações na final do Circuito Brasileiro de Surf Feminino, de sexta-feira a domingo (18 a 20), na Praia de Itamambuca, em Ubatuba/SP.

Com duas etapas realizadas, ambas em Itamambuca, o título oficializado pela Associação Brasileira de Surf Profissional (Abrasp) tem quatro candidatas diretas, mas a carioca Júlia Duarte, com uma vitória e um segundo lugar, chega como grande favorita. Ela já ergue a taça, sem depender das rivais, se garantir vaga na final.

Também estão na disputa mais duas atletas do Rio de Janeiro, Mariana Areno, segunda do ranking, com uma terceira e uma quarta colocações, e Maju Freitas, que vem de vitória na etapa anterior, aparece em quarto lugar e tem um bom histórico no campeonato sendo bicampeã da sub16. A paulista de São Sebastião, Rafaella Teixeira, é a terceira no geral e completa a lista.

O evento é realizado graças ao convênio firmado entre a União, por intermédio da Secretaria Especial do Esporte, do Ministério da Cidadania, e a Prefeitura Municipal de Ubatuba, e as inscrições seguem abertas até quarta-feira (16), às 16 horas. Informações pelo WhatsApp (21) 99140-9715, com Pedro Falcão. Além da pro-júnior, estarão em ação a pro-adulto, também valendo título da Abrasp, a longboard (pranchões) e as categorias amadoras de base sub16, sub14, sub12 e sub10.

Vindo da recente conquista do bicampeonato brasileiro júnior (sub18), Júlia Duarte mostra animação para chegar ao novo título na temporada. No ano passado, na mesma Itamambuca, ela foi a vice-campeã, depois de liderar praticamente toda a final, levando a virada de Tainá Hinckel na última onda. “A expectativa é muito boa, sou líder do ranking, ganhei a primeira etapa e fui vice na segunda, agora espero vencer a terceira etapa para levar o título para casa”, fala a atleta de apenas 16 anos.

“Eu amo competir em Itamambuca, onda boa, água quente e a vibe desse campeonato é maravilhosa”, reforça a atleta que curte a excelente fase, também com a vice-liderança no ranking Sul-Americano Pro Júnior da World Surf League (WSL). “Tenho de aproveitar ao máximo as oportunidades que essa fase boa está me proporcionando”, ressalta a atleta, que tem planos grandes para o futuro. “Quero ser campeã mundial e ganhar todas as etapas do CT”, revela.

Vitoriosa na segunda etapa, Maju só lamenta ter ido mal na etapa inicial, mas não desanima e compete determinada. Filha do tricampeão mundial de longboard, Marcelo Freitas, ela conta com a experiência do pai e treinador para tentar a terceira conquista do campeonato criado há cinco anos por Wiggolly Dantas exclusivamente para a categoria feminina. “Infelizmente na primeira etapa eu perdi nas quartas-de-final, então para ganhar o título vou depender de uma combinação de resultados. Mas estou indo focada para ganhar!”, diz.

“Eu amo Ubatuba, aquele lugar tem meu coração. Gosto muito da onda de Itamambuca, especialmente quando fica maior”, elogia a surfista de 17 anos, também falando do apoio de Marcelo Freitas. “Meu pai é minha maior inspiração, ele me incentiva a dar o meu melhor para ser a melhor todos os dias. Ver o exemplo do atleta que ele foi me motiva muito e é fundamental para minha evolução. Sem ele eu não estaria onde estou agora”, agradece.