Taubaté entra no Top 100 de cidades inteligentes e conectadas do Brasil

O ranking Connected Smart Cities 2019 tem o objetivo de mapear as cidades com maior potencial de desenvolvimento no Brasil. (Foto: Pixabay)

Pela primeira vez em cinco anos, Taubaté passa a figurar no ranking das 100 cidades inteligentes e conectadas do país.

O ranking Connected Smart Cities 2019 tem o objetivo de mapear as cidades com maior potencial de desenvolvimento no Brasil. Esse estudo é desenvolvido desde 2015 pela consultoria Urban Systems e qualifica as cidades mais inteligentes e conectadas do país.

Na edição deste ano, são apresentados 11 eixos temáticos. Taubaté conseguiu classificação em três desses indicadores. Foram avaliados 666 municípios com mais de 50 mil habitantes – segundo estimativa da população brasileira IBGE/2018.

A melhor classificação do município é no eixo Educação. Com 4,537 pontos, Taubaté é a 22ª cidade do Brasil. Neste eixo temático foram avaliados quesitos como vagas em universidades, média do Enem, docentes com ensino superior, Ideb, média de alunos por turma, taxa de abandono, despesas com educação e média de hora-aula diária.
No eixo Tecnologia e Inovação, Taubaté ocupa a 83ª posição no país com 2,37 pontos. A composição desse indicador inclui percentual de banda larga de alta velocidade, fibra ótica, cobertura 4/5G, percentual de empregos formais de nível superior, acesso à internet / habitantes, crescimento das empresas de tecnologia, parques tecnológicos, incubadoras, percentual de empregos no setor TIC, bolsas CNPQ e patentes.

Taubaté ainda aparece em 84º lugar, com 5,425 pontos, no indicador Meio Ambiente. São computados nesse eixo idade média da frota de veículos, percentual de atendimento urbano de água, paralisação do abastecimento, percentual de perdas na distribuição de água, percentual de atendimento urbano de esgoto, percentual de tratamento de esgoto, recuperação de materiais recicláveis, potência outorgada de energia eólica, potência outorgada de energia UFV, potência outorgada de biomassa, tarifa média, monitoramento de área de riscos, percentual de resíduos plásticos recuperados e percentual de cobertura de coleta de resíduos sólidos.
Para as próximas edições do ranking, o desafio do município é conseguir classificação nos demais indicadores e obter melhoras nas classificações atuais.

Botão Voltar ao topo