Parque de São José comemora “Dia do Patrimônio Histórico e 58 Anos do INPE”

Share:
Dia do Patrimônio Histórico: Capoeira, Exposição e Clubinho de Leitura, 58 Anos do INPE e mais! (Foto: Divulgação)

Quanto Patrimônio Histórico da cidade, tombado pelo COMPHAC (Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Artístico, Paisagístico e Cultural do Município de São José dos Campos) e Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico), o Parque Vicentina Aranha não poderia deixar de celebrar o Dia Nacional do Patrimônio Histórico, comemorado em 17 de agosto.

é a data do nascimento do primeiro presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Por meio de um encontro, uma exposição e uma edição especial do Clubinho de Leitura, o Vicentina dialoga sobre patrimônios materiais, imateriais e seus legados de memória e identidade.

Em duas datas distintas, 03/08 (sábado) das 16h às 18h e dia 15/08 (quinta) das 19h às 21h, o Parque recebe parte da programação Semana da 7ª Primavera dos Museus, a exposição Das pernadas aos Jogos Abertos, que retrata a trajetória percorrida pela Capoeira em São José dos Campos ao longo de pouco mais de 40 anos de atividade na cidade.

A história da modalidade é narrada através de exposição de fotos, objetos e instrumentos tais como berimbau, pandeiro, atabaque usados nas rodas de capoeira. Parte integrante da cultura afro-brasileira, hoje conhecida como “o esporte brasileiro”, ou “arte marcial brasileira” nas diversas partes do mundo; misto de dança, jogo e luta a capoeira teria nascido grandes fazendas, criado por escravos na primeira metade do século XIX.

A “dança”, originariamente criada como defesa pessoal era executada nas horas de folga, na vegetação rasteira no interior das senzalas, a fim de não chamar atenção do feitor ou “capitão do mato”. Neste Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade, manifestam-se simultaneamente o canto, o toque dos instrumentos, a dança, os golpes, o jogo, a brincadeira, os símbolos e rituais africanos.

Também no dia 03/08 (sábado) às 16h, uma Roda de Capoeira que ocorre mensalmente no Parque, convida o público para jogar ou simplesmente apreciar os cantos, golpes e danças desta manifestação de nossas heranças africanas. Originada no século XVII, hoje a capoeira é um dos maiores símbolos da identidade brasileira e está presente em todo território nacional, além de praticada em mais de 160 países. Para participar da Roda de Capoeira, basta comparecer. O Projeto Vicentina Qualidade de Vida conta com o apoio do Instituto Sabin e do Instituto de Oncologia do Vale.

Na quinta-feira (15/08) às 19h, o Fora da Caixa faz um convite à reflexão sobre as políticas públicas voltadas para salvaguardar a Capoeira quanto patrimônio. Em julho de 2008, foi reconhecida como Patrimônio Cultural Brasileiro e registrada como Bem Cultural de Natureza Imaterial. Em novembro de 2014 em Paris, a 9ª Sessão do Comitê Intergovernamental para a Salvaguarda aprovou a Roda de Capoeira como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade.

O reconhecimento pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) é uma conquista muito importante para a cultura nacional e expressa a história de resistência negra no Brasil, durante e após a escravidão.

Para este diálogo aberto, o Fora da Caixa recebe o atual Chefe da Casa do Patrimônio do Vale do Paraíba do IPHAN – André Bazzanella, Mestre em História da Arte, com concentração em Antropologia da Arte (UFRJ) e Doutor em Ciências Sociais em Agricultura Desenvolvimento e Sociedade (UFRRJ); Mestre Lobão, mestre de capoeira há 45 anos que ajudou a fundar a primeira academia de capoeira do Vale do Paraíba, em 1971; Carla Natureza professora de Capoeira Angola desde 2008, Mestre em Literatura e Vida Social pela UNESP, onde pesquisou os Cânticos da Capoeira Angola como potência expressiva; com a mediação de Zuleika Sabino, Doutora em História e pesquisadora do tema.

O Clubinho de Leitura também entra no clima do Dia Nacional do Patrimônio Histórico. No domingo (18/08) às 10h, as crianças irão ler e conversar sobre o livro São José dos Campos – A Cidade da Gente, de José Santos com ilustrações de Nara Isoda.

A obra pertence ao projeto A Cidade da Gente – Educação Patrimonial, que tem a finalidade de apoiar a perpetuação e a disseminação da história das cidades abordadas, ampliando as noções das crianças sobre sua própria história, sua identidade e sobre o pertencimento à cidade e à região onde vivem.

Nesta edição, as crianças irão explorar a cidade de São José dos Campos, com a condução da leitura dialógica de Karamelo, Contadora de Histórias, Recreadora e Oficineira desde 2006, atual proprietária da Karamelada Festa do Pijama. Na sequência, será realizado um passeio fotográfico pelo Parque Vicentina Aranha. A atividade é livre para crianças de todas as idades e para participar basta comparecer com um celular ou câmera fotográfica.

INPE 58 Anos

O projeto Astronomia para Todos terá uma edição especial na quinta-feira, dia 08/08 às 19h30. Os benefícios das atividades espaciais em nossas vidas estarão nesta palestra em comemoração aos 58 anos do INPE, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais que nasceu em São José dos Campos em 3 de agosto de 1961.

Desde o lançamento do primeiro satélite artificial, o Sputnik, em 1957, milhares de outros satélites já foram lançados ao espaço em diferentes tipos de órbitas. Nesses mais de sessenta anos de avanços na tecnologia espacial, a humanidade vem se beneficiando diariamente dos inúmeros serviços que têm sua origem nesses objetos que orbitam a Terra, como o uso de diversos dispositivos e aplicativos.

Neste encontro serão discutidos os principais tipos de satélites e suas aplicações, incluindo a participação do INPE neste contexto. Serão apresentados, de forma sucinta, os principais passos necessários desde a ideia da fabricação de um satélite até a sua aplicação/exploração propriamente dita.

O encontro será ministrado pelo pesquisador Antonio Yukio Ueta, Mestre em Física de Plasmas pela USP, Doutor em Física de Semicondutores pela Johannes Kepler Universitaet, Áustria (1997).

Atualmente é membro da Comissão Organizadora e palestrante do Curso de Inverno 2019 em Introdução às Tecnologias Espaciais do INPE e colaborador voluntário no INPE em atividades de apoio ao Gabinete da Direção e à Coordenação-Geral de Engenharia e Tecnologia Espacial. Nos dois últimos anos tem se dedicado à popularização da ciência, ministrando palestras sobre as atividades espaciais, para estudantes de escolas do nível fundamental, médio e superior.

Para participar desta palestra a céu aberto, basta comparecer. Atividade com tradução simultânea em LIBRAS. Em caso de céu limpo, haverá observação dos astros.