São Paulo inicia vacinação contra o sarampo

Share:
(Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)

Começou hoje (10), nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) de São Paulo, uma campanha local de vacinação contra o sarampo. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, serão vacinadas pessoas com idade entre 15 e 29 anos, faixa etária que concentra o maior contingente de pessoas que pode ter deixado de tomar as duas doses da vacina, como prevê o calendário nacional de vacinação.

As pessoas dessa faixa etária que já tomaram as duas doses da vacina não precisarão do reforço. Mas aqueles que não tomaram ou que têm dúvidas devem comparecer às UBS com a caderneta de vacinação e um documento de identificação, de preferência, o cartão SUS.

A vacina tríplice viral protege contra o sarampo, a caxumba e a rubéola. A vacina deve ser aplicada em duas doses a partir de um ano de vida da criança até 29 anos de idade. Pessoas de 30 a 59 anos, nascidos a partir de 1960, devem receber uma dose. A vacina é contraindicada para mulheres grávidas e indivíduos imunossuprimidos.

A secretaria espera vacinar 2,9 milhões de pessoas até o dia 12 de julho, data prevista para o fim da campanha.

Casos confirmados
Neste ano, 14 casos de sarampo foram confirmados na cidade de São Paulo, sendo oito deles importados (de pessoas que viajaram ou que tiveram contato com quem viajou) e seis deles estão em investigação. Não há casos de óbitos registrados na cidade.

Copa América
Para evitar a contaminação do sarampo, a secretaria fez ações de vacinação entre os profissionais que vão atuar na Copa América, que começa sexta-feira (14) no estádio do Morumbi, em São Paulo.

No Morumbi, 275 funcionários da Conmebol foram vacinados: foram 225 doses de influenza, 33 de febre amarela e 17 de sarampo, caxumba e rubéola. Também foram imunizados 127 funcionários do São Paulo Futebol Clube, clube que é proprietário do estádio.

Na Arena Corinthians, que também receberá jogos da Copa América, foram vacinados funcionários da Conmebol e do Corinthians. Foram 550 doses contra influenza, 503 de sarampo, caxumba e rubéola e 117 de febre amarela.