Basílica de Aparecida comemora 60 anos de atendimento aos romeiros

Por: Share:
Segundo maior templo católico do mundo começou a ser utilizado enquanto ainda era um “canteiro de obras”. (Foto: CDM – Santuário Nacional)

O segundo maior templo do mundo completa, na próxima sexta-feira (21), 60 anos de acolhida aos romeiros. A “Basílica Nova” de Aparecida (SP), como é carinhosamente chamada pelos devotos da Padroeira do Brasil, começou a ser utilizada antes mesmo de ter um quinto da atual construção completada, em 21 de junho de 1959. A data marca o início do atendimento aos peregrinos no novo templo.

Inicialmente, o espaço era usado para a acolhida aos romeiros apenas aos domingos. Isso porque, naquela época, apenas uma das quatro alas da Basílica Nova estava parcialmente construída. Mesmo assim, o espaço já era maior do que o oferecido na Basílica Velha, comportando com mais comodidade o número de devotos que, cada vez mais, visitava a Padroeira do Brasil. Só naquele ano, por exemplo, mais de um milhão e trezentas mil pessoas vieram à Aparecida.

“A primeira parte construída do Novo Santuário foi a Nave Norte. Antes mesmo dela ficar pronta, a Imagem de Nossa Senhora Aparecida era trazida para cá e aqui acontecia todo o conjunto de celebrações e sacramentos. Isso porque na Basílica Velha já não havia mais espaço para atender a multidão que vinha à Aparecida”, recorda o coordenador bens culturais Arquidiocese de Aparecida, padre Vitor Hugo Lapenta.

De acordo com o Livro do Tombo, onde está registrada a vida da Paróquia de Aparecida, já nesta data foram celebrados, além das missas, batizados, casamentos e confissões. Ainda segundo o mesmo livro, naquele tempo já era oferecido serviço de água potável e alguns banheiros, aprimorando o serviço de acolhida aos peregrinos.

Quem viu de perto tudo isso acontecer foi o padre Alberto Pasquoto. O religioso havia acabado de ser ordenado sacerdote e era escalado para, aos domingos, conduzir a Imagem original da Padroeira de uma Basílica para a outra.

“Todos os domingos do meu primeiro ano de padre eu retirava a Imagem do Nicho da Basílica Velha às quatro e meia da manhã e a levava para a Nova Basílica, que ainda estava em construção. Chegando aqui eu celebrava a primeira missa e ficava até o período da tarde dando bênçãos e ajudando nas confissões, voltando depois com a Imagem, por volta das quatro da tarde, para a Basílica Velha”, recorda.

O atendimento definitivo aos romeiros na Basílica Nova só aconteceu em 03 de outubro de 1982, quando a Imagem foi definitivamente transladada para o maior templo mariano do mundo. A partir daí as celebrações de missas, batizados e confissões na nova igreja não se restringia apenas aos fins de semana, mas acontecia diariamente. Dois anos antes, em 1980, o Papa João Paulo II havia sagrado o altar e a igreja, elevando-a à categoria de Basílica.

Atualmente, cerca de 13 milhões de peregrinos visitam a Basílica de Nossa Senhora da Conceição Aparecida todos os anos. Durante os fins de semana e em dias de festa, a movimentação chega a quase 200 mil pessoas reunidas na área do Santuário. Para acolher o grande número de visitantes, a segunda maior igreja do mundo conta com cerca de dois mil colaboradores, mais de mil voluntários e um complexo turístico-religioso composto por diversos espaços de visitação e serviços que visam evangelizar por meio da acolhida.