Vacinação contra a gripe atinge mais de 70% dos grupos de risco em Pinda

Por: Share:
O maior grupo de pessoas imunizadas é o de idosos, com 13.111 vacinados. (Foto: divulgação)

A Secretaria de Saúde de Pindamonhangaba, por meio do Departamento de Proteção a Riscos e Agravos à Saúde, vacinou 73% da população que faz parte dos grupos indicados pelo Ministério da Saúde. Até o momento, 34.431 pessoas dos grupos prioritários foram vacinadas, a meta para o município é de imunizar 47 mil pessoas.

O maior grupo de pessoas imunizadas é o de idosos, com 13.111 vacinados. O grupo prioritário de crianças de continua abaixo no número ideal: apenas 7.850 crianças foram imunizadas, sendo que a meta é 11.359. Ainda de acordo com o Departamento de Riscos e Agravos à Saúde, tem sido realizada uma busca ativa nas escolas, a fim de encontrar as crianças e professores que ainda não foram imunizados.

Além de 25 postos espalhados por toda a cidade, a vacina pode ser encontrada no posto central de Pindamonhangaba. De acordo como diretor do Departamento de Proteção aos Riscos e Agravos à Saúde da Prefeitura, Rafael Lamana, “é preciso que as pessoas se conscientizem sobre a importância da imunização para esses grupos mais vulneráveis. O principal objetivo da campanha é reduzir a mortalidade, as complicações e as internações que ocorrem em consequência das infecções pelo vírus da influenza”, alertou.

As pessoas dos grupos prioritários têm até o final deste mês para procurar o local de vacinação mais próximo de sua casa. São eles: crianças de 6 meses a menores de 5 anos, gestantes em qualquer idade gestacional, mulheres no período de 45 dias após o parto, trabalhadores da área de saúde dos serviços públicos e privados, pessoas com 60 anos ou mais de idade, portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais independentemente da idade, população privada de liberdade e do sistema prisional, e os professores das escolas públicas e privadas que estão em sala de aula.

Para ser imunizado, é indispensável levar documento pessoal e cartão de vacinação. As pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis (comorbidades) devem apresentar a prescrição médica. As puérperas devem levar também a certidão de nascimento da criança ou cartão da gestante. Professores e trabalhadores da Saúde devem apresentar documento que comprove o vínculo com a categoria profissional (contracheque, crachá, etc.).