Seleções de Rugby Feminina e Masculina competem no fim de semana

Por: Share:
Enquanto as Yaras disputam etapa da Série Mundial de Sevens no Canadá, Tupis vão ao Paraguai para a estreia do Sul-Americano 6Naciones 2019. (Foto: João Neto/Fotojump)

O fim de semana, 11 e 12 de maio, será repleto de emoções para os fãs brasileiros de Rugby, já que Yaras e Tupis entram em campo.

A Seleção Feminina de Sevens disputa a etapa canadense da Série Mundial de Sevens 2018/19, em Langford, ainda como convidadas, e os jogadores de rugby XV encaram o primeiro desafio da temporada 2019 do Sul-Americano 6Naciones 2019, torneio que o Brasil é o atual campeão.

Detentores do troféu Sul-Americano, em uma conquista inédita na última temporada, os Tupis começam sua jornada pela defesa do título jogando contra o Paraguai, fora de casa, no estádio Héroes de Curupaytí.

Vale lembrar que disputam o Sul-Americano 6Naciones os seis países mais bem ranqueados do continente: Brasil, Chile e Colômbia, que estão no grupo A; Argentina XV, Uruguai XV e Paraguai, no B.

Os times, divididos nos dois grupos, enfrentam os adversários do grupo oposto e ao final de três jogos disputados, o campeão do torneio é a equipe com mais pontos somados na classificação geral. A partida Brasil x Paraguai está marcada para 16h30 (de Brasília), com transmissão ao vivo pelo canal Tigo Sports (www.youtube.com/TigoSportsPY).

Os atletas escolhidos pelo técnico Rodolfo Ambrósio para viajarem ao Paraguai são: André Felipe Zanella de Arruda, Ariel da Silva Rodrigues, Caíque Santiago Silva Segura, Cleber Dias da Silva, Daniel Henri Sancery, Daniel Lima da Silva, Douglas Rauth, Gabriel Torres Paganini, Jacobus Malan De Wet Van Niekerk, Laurent Bourdat Couhet, Lucas Abud de Andrade, Lucas Piero Celestino Toscanelli de Moraes, Lucas Rainho Tranquez, Lucas Rodrigues Duque, Luiz Gustavo Lemes Vieira, Matheus Augusto de Souza Claudio, Matheus Rodrigues da Rocha, Michael Oliveira Lopes de Morais, Pedro Luis Menezes Bengaló, Joao Pedro Talamini, Robert Aguinaldo Tenorio da Silva Santos, Stefano Giantorno, Victor Daniel Domingues, Wilton José Murilo Rebolo, Yan Victor Mota Rosetti

Já as Yaras jogam em Langford, no Canadá, sua última etapa como equipe convidada do World Rugby Women’s Sevens Series. As brasileiras, que vêm da conquista do 15º título Sul-Americano consecutivo e do título do classificatório para a próxima temporada do circuito mundial, que ocorreu em Hong Kong recentemente, estão em grande fase a aproveitam o bom momento para se prepararem ainda mais para os próximos desafios: Qualificatório para Jogos Olímpicos Tóquio 2020 e Pan-Americano de Lima 2019. O torneio tem transmissão pelo YouTube da World Rugby e pelo Facebook da World Rugby Sevens.

O Brasil está no grupo A, ao lado de Canadá, Austrália e Irlanda. No grupo B estão Inglaterra, Nova Zelândia, Rússia e China, e no C estão Estados Unidos, França, Fiji e Espanha. No primeiro dia de jogos, o Brasil começa às 15h28 contra as canadenses, depois às 17h50 contra as australianas e às 20h34 diante das irlandesas.

O técnico Reuben Samuel leva para o torneio Aline Bednarski, Aline Furtado, Beatriz Futuro, Bianca dos Santos Silva, Franciele Barros, Haline Scatrut, Luiza Gonzalez, Marcelle Souza, Mariana Nicolau, Milena Silva, Raquel Kochhann e Thalia da Silva Costa.

Sobre a Brasil Rugby e a modalidade

A Confederação Brasileira de Rugby (CBRu) tem o apoio do Comitê Olímpico do Brasil e do Ministério do Esporte, patrocínio máster do Bradesco e, como patrocinadores principais, AccorHotels, Heineken e Correios. Conta ainda com Total, Deloitte, Alupar, Robert Walters, Cultura Inglesa e Estácio como patrocinadores oficiais. Também são fornecedores e apoiadores do rugby brasileiro: Gilbert, Travel Ace, Fortify.

O rugby é o segundo esporte coletivo mais praticado no mundo, com quase 7 milhões de jogadores registrados e presente em mais de 170 países.

No Brasil, são mais de 31,7 milhões de pessoas interessadas pelo esporte, dentre eles 13,7 milhões se consideram fãs, de acordo com pesquisa Ibope Repucom 2018. São mais de 300 agremiações esportivas e 60 mil atletas e praticantes no País, números que, somados à volta da modalidade ao programa olímpico nos Jogos do Rio 2016, fizeram a World Rugby (a federação internacional de rugby) eleger o Brasil como prioridade estratégica de investimento.