Grupo de choro “Água de Vintém” faz show gratuito do novo álbum em Aparecida

Por: Share:
Projeto foi viabilizado com apoio de premiação de Edital do ProAC. (Foto: Divulgação)

O conjunto piracicabano “Água de Vintém” faz show gratuito de lançamento do seu novo CD “O Choro Nosso”, dia 06 de junho, às 20h, na Praça Padre Vitor Coelho de Almeida (Antiga Praça Kennedy), centro, Aparecida.

No mesmo dia pela manhã haverá concertos didáticas, também gratuitos, destinados a crianças às 11h e às 15h, na Estação Cultural de Aparecida, localizada à rua Valério Francisco, s-n, Antiga Estação Ferroviária de Aparecida.

O terceiro disco vem para coroar os férteis oito anos de carreira contemplados em 2019 Com 14 faixas autorais inéditas, o álbum se destaca pela qualidade das composições, por novidades como a presença da guitarra e da bateria e pela variedades de ritmos que explora, abrangendo valsa, frevo, choro, choro sambado, schottisch, varandão, tango brasileira e, até mesmo, foxtrote.

Temperado com influências contemporâneas o diálogos com outras vertentes musicais, “O Choro Nosso” consolida um momento de grande maturidade musical do ‘Água de Vintém’. A experiência adquirida em todos estes anos, aliada a nova formação, que conta com alguns dos principais músicos de choro do estado, resulta em um disco que promete ser um dos principais lançamentos do choro e da música instrumental brasileira de 2019.

Serviço

Água de Vintém lança ‘O Choro Nosso’

Data – 06 de junho de 2019

Horário – 20h

Local – Praça Padre Vitor Coelho de Almeida (Antiga Praça Kennedy) – Centro, Aparecida – SP

*Concertos às 11h e às 15h – Estação Cultural de Aparecida – Rua Valério Francisco, s-n, Antiga Estação Ferroviária de Aparecida.

TODOS OS EVENTOS SÃO GRATUÍTOS – VIABILIZADOS POR PREMIAÇÃO DE EDITAL DO PROAC.

Mais Sobre o CD

ÁGUA DE VINTÉM – O título de um choro de Chiquinha Gonzaga dá nome a este grupo composto por Vitor Casagrande (bandolim e violão tenor), Charles Barreto (cavaco), Guilherme Girardi (violão de 7 cordas), Marcus Godoy (violão e guitarra) e Xeina Barros (pandeiro). “Refere-se à Água da Fonte do Vintém, que era distribuída em carroças na época em que o Rio de Janeiro ainda não possuía água encanada”, explica Guilherme Girardi .

O grupo que acaba de completar 8 anos de formação chega ao mercado com seu terceiro álbum, intitulado “O choro nosso”. O projeto de 14 faixas foi gravado no Estúdio Sincopa, em Campinas/SP, com mixagem e masterização de José Bichoff e produção musical assinada pelo próprio grupo.

Concebido com apoio do edital do ProAC, o disco é totalmente autoral. “O Água de Vintém sempre teve uma veia autoral muito forte, que já se mostra no nosso primeiro disco de 2013, que tinha apenas uma música que não era nossa composição. Como o segundo disco foi um trabalho sobre a obra do compositor piracicabano Sérgio Belluco, do primeiro CD pra cá é só composição se acumulando”, brinca Charles Barreto.

O grupo define seu som como música instrumental brasileira fundamentada no choro, pois o som dialoga com outros ritmos e vertentes musicais. “Neste disco procuramos trazer uma sonoridade mais variada. A essência é o choro, mas dentro disso há uma gama de ritmos, como o tango brasileiro, choro sambado, choro tradicional, valsa, schottisch, varandão, frevo e até um foxtrote.”, explica Girardi.

O contraste entre as composições se mostra também no estilo, com faixas mais tradicionais e outras mais ousadas, com temperos mais modernos. Dentre esses temperos destaca-se a guitarra, uma novidade em relação aos álbuns anteriores do grupo. Apesar de já ser usada por Radamés Gnattali no choro desde o fim da década de 40, a guitarra ainda hoje é um instrumento pouco explorado dentro do gênero. “Aproveitamos que o Marquinhos é um grande guitarrista e acrescentamos um colorido a mais no disco, que tem ainda solos de bandolim, violão tenor, cavaquinho e violão”, conta Marcus Godoy.

A escolha do repertório foi um processo coletivo, durante encontros nos quais cada integrante mostrava sua produção autoral dos últimos anos e até algumas obras feitas sob medida para o disco. “Sem abrir mão da qualidade das composições, tivemos como meta que cada um dos cinco integrantes assinasse pelo menos uma faixa do disco. Deu tão certo que até a Xeina estreou como compositora”, relata Vitor Casagrande.

Primeira composição da pandeirista Xeina Barros, em parceria com Vitor Casagrande, “Serelepe” é uma das faixas mais animadas e balançadas do álbum. No outro extremo, temos “Valsa pro Sérgio” (Vitor Casagrande/Guilherme Girardi), contemplativa e carregada de sentimentos. “Só Deus sabe” (Marquinhos Godoy), destaca-se entre os sons mais contemporâneos, temperada pela guitarra do próprio compositor e pela bateria do convidado especial Rafael Toledo. Entre as surpresas, chama atenção o foxtrote “Caminho do Itaici”, com melodia e estrutura característica de choro embalada pelo ritmo norte-americano. Há ainda o diálogo com a música do nordeste, com “Xeininha no frevo” (Vitor Casagrande). “Não faz muito tempo, a Xeina tinha resistência em acompanhar os frevos que eu aprendia, pois dizia que não tocava bem o ritmo. Então fiz essa homenagem a ela, que não teve mais como se recusar a tocar, e hoje está aí arrebentando no disco, com direito a solo e tudo.”, brinca Vitor Casagrande.

Além da gravação do álbum, o projeto premiado no edital ProAC prevê a realização de seis shows de lançamento em diferentes cidades do estado de São Paulo. Cada cidade atendida recebe ainda duas apresentações didáticas destinadas a crianças da rede pública de ensino. “Escolhemos cidades pequenas, com movimentação cultural bastante tímida e onde praticamente não acontece nada de choro. Partimos da ideia de levar esse show para pessoas que ainda não conhecem o gênero e seus desdobramentos, em apresentações com boa estrutura técnica e entrada gratuita”, diz Xeina Barros.

“O choro nosso” é um daqueles projetos pensados nos mínimos detalhes e vem para coroar os férteis oito anos de carreira do conjunto Água de Vintém, importante representante da música instrumental e do choro no interior de SP. “Estamos mais maduros e entrosados, não só musicalmente, mas pessoalmente. É sempre uma alegria e uma energia boa quando nos encontramos para tocar, ensaiar ou criar, então o projeto reflete esse momento. Esse disco traz, com certeza, nosso melhor lado”, finaliza Girardi.

FAIXAS DO CD

1 – Lembranças do trio Retumbante (Charles Barreto) / 2 – Chorando em Oakland (Guilherme Girardi) /3 – Inspirações (Marquinhos Godoy) / 4 – Serelepe (Xeina Barros/Vitor Casagrande) / 5 – Pedra do Baú (Vitor Casagrande) / 6 – Valsa pro Sérgio (Vitor Casagrande / Guilherme Girardi) / 7 – Só Deus sabe (Marquinhos Godoy) / 8 – Choro pro Primo (Guilherme Girardi) / 9 – Choro pro Beto (Guilherme Girardi) / 10 – Seu Maurício (Vitor Casagrande) / 11 – Luz no nevoeiro (Charles Barreto/Guilherme Girardi) / 12 – Esperando o guincho (Vitor Casagrande) / 13 – Caminho do Itaici (Guilherme Girardi) / 14 – Xeininha no frevo (Vitor Casagrande) .

* Preço de Venda do CD nos Shows -R$10,00 (Dez Reais),

Agenda de Shows ProAC

02/05 | Mongaguá

09/05 | Lençóis Paulista

06/06 | Aparecida

11/06 | Piracicaba

13/06 | Bebedouro

28/06 | Bragança Paulista