Seleção Brasileira Feminina de Rugby Sevens é campeã do Sul-Americana pela 15ª vez

Por: Share:
Jogando no Paraguai, Yaras seguem invictas na região e conquistam mais um troféu na temporada. (Foto: Tania Wamsler)

A Seleção Brasileira Feminina de Rugby Sevens venceu neste fim de semana, dias 27 e 28 de abril, o Campeonato Sul-Americano, disputado em Assunção, no Paraguai.

Assim, as Yaras conseguiram manter a invencibilidade na região, pela 15ª vez, e conquistaram mais um título na temporada, após venceram o classificatório do World Rugby Women’s Sevens Series, que ocorreu em Hong Kong no mês de março.

Para as brasileiras, o torneio de Assunção valeu ainda como preparação para outros dois Sul-Americanos que a Sudamérica Rugby organizará ainda neste ano.

Elas vão participar, no início de junho, em Lima, Peru, do classificatório para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 e, também, de um outro torneio regional no segundo semestre do ano. E o calendário das Yaras também conta com outros desafios bastante importantes: a disputa da etapa canadense da Série Mundial de Sevens 2018/19, ainda como convidadas, nos dias 11 e 12 de maio e, em julho, os Jogos Pan-Americanos de Lima.

No Paraguai, as atletas brasileiras não encontraram muitas dificuldades e venceram todos seus jogos, começando com 39 a 0 sobre a Costa Rica, 36 a 5 no Uruguai e 17×0 sobre o Peru. Já no segundo dia de jogos, o Brasil venceu o Chile, por 38 a 0, e a Argentina, em dois jogos: 22 a 5 e 22 a 7, para conquistar mais um título Sul-Americano.

O Brasil, do técnico Reuben Samuel, jogou com Mariana Nicolau, Luiza Campos, Andressa Alves, Leila Cassia, Thalia da Silva Costa, Aline Bednarski, Aline Furtado, Beatriz Futuro, Byanca Ketellen, Raquel Kochhann, Bianca Silva e Milena Batista.

O torneio, em Assunção, foi antecedido pelo Fórum Feminino de Rugby 2019, da Sudamérica Rugby, organizado para discutir os próximos passos do rugby feminino na região, com participantes de dez países, entre ele, representantes brasileiras. Eles analisaram o papel das mulheres no rugby e no futuro, em uma região com taxas de crescimento sólidas e positivas, debatendo melhores práticas e desenvolvimento regional da modalidade.

Sobre a Brasil Rugby e a modalidade

A Confederação Brasileira de Rugby (CBRu) tem o apoio do Comitê Olímpico do Brasil e do Ministério do Esporte, patrocínio máster do Bradesco e, como patrocinadores principais, AccorHotels, Heineken e Correios. Conta ainda com Total, Deloitte, Alupar, Robert Walters, Cultura Inglesa e Estácio como patrocinadores oficiais. Também são fornecedores e apoiadores do rugby brasileiro: Gilbert, Travel Ace, Fortify.

O rugby é o segundo esporte coletivo mais praticado no mundo, com quase 7 milhões de jogadores registrados e presente em mais de 170 países.

No Brasil, são mais de 31,7 milhões de pessoas interessadas pelo esporte, dentre eles 13,7 milhões se consideram fãs, de acordo com pesquisa Ibope Repucom 2018.

São mais de 300 agremiações esportivas e 60 mil atletas e praticantes no País, números que, somados à volta da modalidade ao programa olímpico nos Jogos do Rio 2016, fizeram a World Rugby (a federação internacional de rugby) eleger o Brasil como prioridade estratégica de investimento.