São Paulo concede Parque Capivari e Horto Florestal à iniciativa privada

Por: Share:
Assinatura dos contratos e concessão do Parque Estadual de Campos do Jordão e do Parque Capivari. (Foto: Governo do Estado de São Paulo)

O Governador João Doria assinou nesta quinta-feira (4), em Campos do Jordão, os contratos de concessão do Parque Capivari e do Parque Estadual de Campos do Jordão (Horto Florestal) à iniciativa privada. A medida visa aprimorar a infraestrutura e os serviços prestados à população e aos turistas.

Para a concessão do Parque Capivari, a concessionária Eco Jordão S.A. pagou ao Governo do Estado outorga fixa de R$ 1,5 milhão e pagará ao longo dos 30 anos do período de concessão outorga variável de R$ 80,1 milhões, o que representa ágio de 391% sobre o valor mínimo de R$ 16,3 milhões previsto no edital. Durante concorrência realizada em maio do ano passado, na sede da Secretaria de Transportes Metropolitanos (STM), quatro empresas apresentaram propostas.

“Já havia desde o governo de Geraldo Alckmin a intenção da revitalização desta área central de Campos do Jordão, denominado Parque do Capivari, e a intenção de fazer a concessão também do Parque do Horto Florestal. O que fizemos ao assumir o Governo de São Paulo foi acelerar os processos para que ambas as concessões pudessem avançar. Hoje estamos celebrando a assinatura das duas outorgas para empresas privadas que farão a administração dos dois parques”, disse o Governador.

A empresa será responsável por obras de reforma e modernização, manutenção e administração do espaço. Os investimentos previstos somente em infraestrutura somam R$ 35,3 milhões. Em contrapartida, a concessionária poderá explorar comercialmente equipamentos turísticos no parque. A entrada no local continuará sendo gratuita.

Com área total de 40 mil m², o Parque Capivari, hoje administrado pela Estrada de Ferro Campos do Jordão (EFCJ), é um dos principais polos turísticos da cidade. Entre as melhorias previstas no local estão um moderno teleférico, um equipamento chamado trenó sobre trilhos, uma concha acústica, novas áreas comerciais, sanitários e estacionamentos. O projeto inclui ainda remodelação do pedalinho, recomposição de áreas verdes, preservação dos equipamentos e reurbanização do Morro do Elefante.

No ano passado, mais de 300 mil pessoas visitaram o parque. A expectativa é que após a reforma, o local passe a receber aproximadamente meio milhão de turistas por ano. “A modernização do Parque Capivari vai ajudar a fomentar o turismo local e contribuir para geração de emprego e renda”, afirmou o Secretário de Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy.

Assinatura dos contratos e concessão do Parque Estadual de Campos do Jordão e do Parque Capivari. (Foto: Governo do Estado de São Paulo)

Horto Florestal
A empresa Urbanes Empreendimentos será a responsável pelo Parque Estadual de Campos do Jordão, mais conhecido como Horto Florestal.

“Por meio das concessões das áreas de ecoturismo conseguimos aumentar os investimentos e melhorar a experiência dos visitantes. Serviços como restaurante, bilheteria e centro de aventuras poderão ser renovados e ampliados. É importante deixar claro que a área de preservação ambiental continuará sob responsabilidade do Estado”, explica o Secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente, Marcos Penido.

Vencedora da concorrência realizada em janeiro, a Urbanes é responsável pela administração do parque Aldeia do Imigrante localizado em Nova Petrópolis, no Rio Grande do Sul.

De acordo com o edital, a concessionária deverá realizar o investimento mínimo obrigatório de R$ 8,3 milhões na manutenção da área e instalação de equipamentos para Ecoturismo. O documento prevê ainda o congelamento da tarifa nos primeiros 18 meses. Após o período, o valor poderá ser reajustado em até R$ 4 reais (atualmente a entrada custa R$ 15). A contrapartida será a exploração comercial do espaço. A concessão é válida por 20 anos.

Os trabalhos no parque Estadual de Campos do Jordão serão monitorados e fiscalizados por uma comissão composta por membros da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente e da Fundação Florestal.

Recomendados para você