MCB promove Mercado Manual especial Dia das Mães

Share:
(Ilustração de Fábio Issao)

O MCB – Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, gerido pela Sociedade Civil por meio da A Casa Museu de Artes e Artefatos Brasileiros, homenageia o Dia das Mães com a realização da 10ª edição do Mercado Manual nos dias 4 e 5 de maio, sábado e domingo, das 10h às 20h.

Além de incentivar a cultura feita à mão com 114 expositores, o MM10 apresenta a temática “Mãe Terra”, com oficinas gratuitas e intervenções ligadas à sustentabilidade.

Moda, design e casa, arte, joias e bijoux, artigos infantis, botânica, beleza e bem-estar são algumas das categorias dos artesãos contemporâneos desta edição; além de praça gastronômica com opções diversificadas de comidas e drinks artesanais.

São novidades a parceria com a Casa Causa – rumo à meta Lixo Zero –, o lançamento do projeto Caravana Manual e a cenografia recoberta por juta, fibra cultivada por manejo sustentável por cerca de 15 mil famílias no Amazonas e no Pará, resultado da colaboração com a empresa Juta Castanhal.

As organizadoras do Mercado Manual e à frente da Rede Manual, as sócias Daniela Scartezini, Karine Rossi e Patricia Toledo, contam que planejaram “uma programação gratuita de oficinas e intervenções em homenagem às mães e dedicada a todas as famílias”. Como em outras edições, haverá projeto exclusivo, assinado pelo Erê Lab, dedicado às crianças.

“O MCB é o único museu do país voltado ao design e à arquitetura, e realiza eventos, como o Mercado Manual, a fim de estimular a economia criativa e valorizar o pequeno produtor ou artesão. Promover seu contato direto com o consumidor final e garantir a sustentabilidade desta cadeia é um dos nossos objetivos”, explica a diretora geral, Miriam Lerner.

Novidades no MM10
Esta edição do Mercado Manual concretiza uma parceria com a Casa Causa, projeto que envolve todos os participantes do festival – produtores, expositores e visitantes. Durante os dois dias de evento, serão realizadas oficinas a fim de conscientizar o público sobre permacultura, coleta de resíduos e reciclagem.

“Queremos que todo o resíduo coletado seja descartado corretamente. Teremos a participação de cooperativas e carroceiros auxiliando na educação ambiental e coleta na nossa equipe”, adianta Flávia Cunha, fundadora da Casa Causa e embaixadora do Instituto Lixo Zero no Brasil.

Outra ação inédita é a chegada da Caravana Manual, projeto itinerante de curadoria de artesãos de comunidades Brasil afora para troca de saberes e fazeres manuais. O primeiro a desembarcar é o Criquê Caiçará, criado pela designer Paula Dib em parceria com um grupo de artesãs que vivem na Estação Ecológica da Juréia, litoral Sul de São Paulo. Criadoras que esculpem flores, folhas e pássaros na caixeta (espécie nativa da região, colhida por manejo sustentável), resultando em peças coloridas por tintas à base d’água.

Além de conhecer de perto este trabalho, algumas das artesãs do projeto farão parte da programação do MM10. Elas irão realizar uma oficina em que os participantes vão aprender a entalhar e aquarelar pingentes de madeira, cujas formas também são inspiradas em plantas da Mata Atlântica.

Programação

– Dia 04, sábado
11h00 | Oficina: Universo das abelhas nativas sem ferrão, com Beeliving (12 vagas).
13h00 | Oficina: Aprendendo a compostar, com Casa Causa (12 vagas).
15h00 | Oficina: INVENSONS – instrumentos com objetos de descarte (12 vagas).
16h30 às 19h00 | Performance artística de Nebulosas de Gaia, com Aria Nebulosa e Larissa Violeta (livre).
17h00 | Oficina: Macramê com fio de juta, com Clau Gonzaga (12 vagas).

– Dia 05, domingo
13h00 | Oficina: Aprendendo a compostar, com Casa Causa (12 vagas).
15h00 | Contação de histórias sobre Mãe Terra, com Casa Colorida Conta Histórias (livre)
16h00 | Pintura em colheres de pau, com Projeto Crique Caiçara (12 vagas)
16h30 às 19h00 | Performance artística de Nebulosas de Gaia, com Aria Nebulosa e Larissa Violeta (livre)
17h00 | Performance: Homenagem à Mãe Terra, com Emana (livre)

Expositores
3Jolie; A.profunda; Achados de Brianti; Adedo; Adue oficial; Amapô Kids; Atelier Casa Azul; Atelier Nó Design; Aurora Rio; Barini Design; Beeliving; Bianca Kovak; Bonica Ceramicas; Bossa pack; Cacau e curas caseiras; Cafuné Caliente; Care Natural Beauty; Carmine; Casa Brasil; Cerâmica; Casa Dobra; CasaMO; Chez Nous; Clau Gonzaga; Comas; Criquet Caiçara; Crua Design; Dada_duo; Douceur do Ceu; Ecolov / Green Morning; Estilo Barkoh; Estudio Iracema; Estudio Luares; Estudio Plume; Estudio_bemtevi; Fazenda Lila; Feixe; Fernanda Torquetti; Gabriel Dalzotto / Studio Dalzotto; Georgia Halal; JaisHandmade; Ju Amora; Juliana Veinert; K Lab; Kom; Laia Shoes
Linus; Loom; Luciana Pivato; Luna Kajiya; Maria Sublime; Minibossa; Moee; Molsk Design; My Fots; Nó & Nó; Olfativa Aromas; Panou; Patricia Carvalho / Rele Ceramica; Pavio de Vela; Primeira Folha; Prisicila Pini; Shii rio; Shwe; su_fernandez; Sunset wood; Tanuka; Nalini; Taste me; Terral Natural; Therapy; Timirim; Tita Co.; Tom; Pepper; Tropico; Ume Kimonaria; Upcyqueen; Vitoria Paes; Wet & Wood; Yabah e Naisha cardoso

Sobre o MCB
O Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, dedica-se à preservação e difusão da cultura material da casa brasileira, sendo o único museu do país especializado em arquitetura e design.

A programação do MCB contempla exposições temporárias e de longa duração, com uma agenda que possui também atividades do serviço educativo, debates, palestras e publicações contextualizando a vocação do museu para a formação de um pensamento crítico em temas como arquitetura, urbanismo, habitação, economia criativa, mobilidade urbana e sustentabilidade.

Dentre suas inúmeras iniciativas, destacam-se o Prêmio Design MCB, principal premiação do segmento no país, realizado desde 1986; e o projeto Casas do Brasil, de resgate e preservação da memória sobre a rica diversidade do morar no país.

Sobre a Rede Manual
A Manual, criada pela Floristas Produções, é uma rede que reúne pequenos empreendedores e novos criadores, propiciando ambientes de negócios, qualificação e relacionamento. Trata-se de uma ferramenta que incentiva e ressignifica o artesão, o autor, o criador. Composta principalmente por mulheres, a rede acredita no potencial feminino como agente transformador, e na capacidade de construção de um futuro melhor através da valorização do trabalho manual. A Rede Manual se estabelece e se relaciona em eventos físicos, como Mercado Manual, em oficinas e no site:
www.redemanual.com.br.