São José: Fundhas desenvolve o respeito às diferenças como regra de convivência

Por: Share:

Estabelecer regras é parte importante no processo de desenvolvimento de crianças e adolescentes e integra o trabalho realizado nas unidades da Fundhas (Fundação Hélio Augusto de Souza) em São José. A partir dessa premissa, a instituição programou, para o retorno das atividades desta semana, momentos de reflexão e debate para esclarecer as regras de convivência entre os alunos atendidos.

Na Unidade Petrobrás, no Campos de São José (região leste), por exemplo, nesta última quinta-feira (7), os alunos foram divididos em grupos, por cores, para discutir com colegas e educadores sobre a importância do convívio sadio em espaços coletivos, como os da Fundhas e as escolas.

Após o debate, cada grupo listou as regras e, em seguida, apresentou suas ideias a todos os colegas e professores reunidos. Questões importantes como participação ativa nas aulas, empatia, assiduidade, entre outras, foram levantadas e os “combinados” fechados com os participantes.

Entre as regras propostas por meninos e meninas estão: “respeitar o próximo”, “cuidar do meio ambiente”, “respeitar as diferenças” e outras. Lições simples, mas essenciais em qualquer relação.

Convivência sadia

“A Fundhas ajuda a melhorar meu comportamento, aprendo a ouvir e manter a disciplina. É importante o respeito ao próximo. Manter o respeito entre todos já é o primeiro passo para as coisas darem certo”, disse Isabelle Camilly de Souza Costa, 14 anos, que sonha ser professora de Educação Física e está ansiosa para jogar bola na unidade.

Caio Samuel dos Santos, 10 anos, gosta de Matemática e voltou animado para as atividades deste ano. “De tudo que ouvi hoje vou guardar que é preciso escutar e respeitar os mais velhos”, destacou.

A atividade é tradicional no período de volta às atividades na Fundhas e compõe os projetos da instituição que contribuem para a formação e emancipação social de cerca de 3.500 crianças e adolescentes em 14 unidades do município. A atuação no contraturno escolar oferece ações de artes, cultura, esportes, meio ambiente e reforço escolar.

“Nos 15 anos que tenho de Fundhas vejo grandes transformações. As regras são muito importantes, é algo que preparamos hoje para ter um resultado lá na frente, quando falamos de boa convivência não se resume aqui, mas é algo que eles levam para a vida. A participação dos adolescentes me surpreendeu e fez meu dia valer 100%, isto indica que teremos um ótimo ano de trabalho”, disse entusiasmada a professora Maria de Fátima de Barros.