PM Ambiental apreende arma, munições e objetos para Caça em Guará

Por: Share:
Objetos apreendidos apresentados no DP de Guaratinguetá. (Foto: Divulgação/PMESP)

Policiais do Terceiro Batalhão De Polícia Militar Ambiental, após receberem denúncia de aves mantidas em cativeiro, realizam fiscalização e encontram 1 arma de fogo, munições, armadilhas com explosivos, petrechos para caça e animais abatidos.

Na tarde de ontem, terça-feira (12), policiais do TORA – Táticos Ostensivo Rural Ambiental – durante fiscalização no bairro Goiabal, Guaratinguetá, encontraram na residência de um homem (30), 1 espingarda calibre 32, 20 munições, 1 pio (petrecho sonoro para atrair animais), 2 fisgas e 2 armadilhas alimentadas por explosivos, utilizadas para caça e conhecidas como “canhãozinho”.

A ação aconteceu após uma denúncia anônima, informando que no local havia aves da fauna silvestre mantidas em cativeiro e prática ilegal de caça.

A equipe ambiental ainda encontrou durante a fiscalização na residência do suspeito, 8 animais abatidos e prontos para o consumo (Paca, Jacú e Rã)

O Homem foi levado para o distrito policial da cidade após receber voz de prisão dos policiais ambientais. Na delegacia ele foi enquadrado no artigo 12 da lei 10826/83 (posse irregular de arma de fogo e no artigo 29 da lei 9605/98, que trada de crimes ambientais.

Após o pagamento da fiança de R$1000 MIL, o homem foi liberado e responderá em liberdade.

A Polícia Militar Ambiental ainda aplicou uma autuação no valor de R$4000 MIL, pela infração contida no artigo 25 da resolução 48 da Secretaria do Meio Ambiente de 2014.

*Resolução 48/14
Artigo 25 – Matar, perseguir, caçar, apanhar, coletar ou utilizar espécimes da fauna silvestre, nativos ou em rota migratória, sem a devida permissão, licença ou autorização da autoridade competente, ou em desacordo com a obtida.

*Canhãozinho
Petrecho ou Arma (conforme entendimento de alguns) utilizado para caça, contem explosivo e é detonado pelo próprio animal, que aciona um gatilho quando atraído por algum tipo de “isca”.