Sada Cruzeiro bate o Minas e é tetracampeão da Copa Brasil de Vôlei

Share:
Festa do Sada Cruzeiro
(Cristiano Andujar/Inovafoto/CBV)

O Sada Cruzeiro é tetracampeão da Copa Brasil masculina de vôlei. A final mineira contra o Fiat/Minas (MG) agitou o ginásio Jones Minosso, em Lages (SP), no domingo (27), e, no final, a equipe cruzeirense levou a melhor ao vencer por 3 sets a 0 (29/27, 25/22 e 25/22). Este foi o quarto título da equipe comandada pelo técnico Marcelo Mendez, que também foi campeã nas edições de 2014, 2016 e 2018.

O time mineiro classificou para a Copa Brasil na segunda colocação do primeiro turno da Superliga Cimed 18/19. Assim, enfrentou o sétimo, Vôlei UM Itapetininga (SP) na fase classificatória, quando venceu por 3 sets a 1, garantindo a vaga na Fase Final, em Lages. Na semifinal, bateu o Copel Telecom Maringá Vôlei (PR), que havia eliminado o Sesi-SP na primeira fase, garantindo a vaga na grande decisão.

Maior pontuador desta noite, com 13 acertos, o oposto Evandro foi um dos destaques da grande final. Outro jogador que sempre está em evidência nas campanhas vitoriosas do Sada Cruzeiro, o líbero Serginho destacou o respeito que o seu time teve a todos os times que disputaram e especialmente chegaram a Fase Final da Copa Brasil.

“Tivemos muito respeito e isso é muito importante. Sempre esperamos pelas equipes com maior investimento na Copa Brasil figurando entre as quatro primeiras e essa foi atípica em relação as outras que disputamos. O Copel Telecom Maringá foi uma grata surpresa, tirando um time que era favorita ao campeonato, e o Fiat/Minas mais ainda, porque tirou duas grandes equipes”, ressaltou Serginho.

O líbero do Sada Cruzeiro ainda comentou sobre a experiência a mais do multicampeão Sada Cruzeiro e que isso, nos momentos decisivos, pode fazer a diferença.

“No final, em um jogo equilibrado, difícil, ganhou o time que é mais cascudo e está mais acostumado a decidir. Os meninos do time do Minas têm muito valor. O Davy, o Felipe Roque, o Cledenilson, o Maique, todos têm muito talento, mas eles ainda não têm essa vivência de jogar uma final e isso pesa. Na hora de decidir, faz a diferença. Mais uma vez mostramos que somos um bom time, mas, na hora que vale, nosso time é melhor ainda”, afirmou Serginho.

O capitão Filipe lembrou as trocas realizadas pela equipe mineira nesta temporada. “Nosso time passou por grandes mudanças nesta temporada, mas a sede de vencer e a vontade de estar no primeiro lugar do pódio permanecem. Este título é resultado do trabalho do grupo, que se supera a cada dia. A equipe toda está de parabéns, muita gente duvidou do nosso time, por todas as mudanças que tivemos, mas mostramos que continuamos no topo”, disse Filipe.

O líbero do Fiat/Minas, Maique, comentou sobre a boa atuação do adversário nesta noite. “Sempre falta alguma coisa quando queremos chegar a um título. Queríamos fazer mais, mas o adversário fez o seu melhor, o saque ajudou muito e passamos por alguns momentos difíceis, especialmente para conter o saque deles”, disse o jogador, que, em compensação, saiu de quadra grato pelo trabalho desenvolvido na competição.

“Por outro lado, o sentimento é de gratidão, já que nosso time era até desacreditado por ser muito jovem. Passamos por muita coisa e hoje estamos na posição de segunda melhor equipe do Brasil na atualidade, até o final da Superliga Cimed, e isso é muito para uma equipe nova como a nossa. Que isso sirva de experiência e vamos continuar trabalhando”, finalizou Maique.

O Fiat/Minas entrou na Copa Brasil na oitava posição da Superliga Cimed 18/19. Nesta circunstância, o time mineiro eliminou o primeiro colocado, Sesc RJ, e chegou a Lages para enfrentar outra potência do cenário, o EMS Taubaté Funvic (SP). Na semifinal, venceu o adversário do Vale do Paraíba por 3 sets a 2 e se classificou para a final.

EQUIPES

SADA CRUZEIRO – Fernando Cachopa, Evandro, Isac, Le Roux, Sander e Rodriguinho. Líbero – Serginho
Entraram – Luan, Sandro, Léo, Filipe
Técnico: Marcelo Mendez

FIAT/MINAS – Marlon, Felipe Roque, Flávio, Cledenilson, Honorato e Bob. Líbero – Maique
Entraram – Davy, Winck, Piá, Elian
Técnico: Nery Tambeiro

Veja também