Procon-SP divulga pesquisa sobre variação de preços do material escolar

Share:

Órgão vinculado à Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania, a Fundação Procon-SP realizou uma pesquisa de preços do material escolar, no último mês, em nove estabelecimentos comerciais. O levantamento foi feito nos dias 5, 6, 7 e 10 de dezembro de 2018, em lojas distribuídas pelas regiões norte, sul, oeste e centro da capital.

A pesquisa completa, já disponível no site da fundação, busca oferecer referências de valores aos consumidores, por meio dos preços médios obtidos na amostra. Na comparação dos estabelecimentos pesquisados por região, os melhores patamares foram encontrados na zona norte da capital.

Depois da comparação de 134 produtos comuns entre as pesquisas realizadas neste ano e no ano passado, o órgão constatou, em média, um acréscimo de 9,95% no preço dos itens. Vale destacar que o Índice de Preços ao Consumidor de São Paulo (IPC-SP), da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), referente ao período, registrou variação de 3,47%.

Resultados

Em termos percentuais, a maior diferença de preço identificada foi de 325%, em relação ao lápis preto Nataraj HB nº2, sextavado, sem borracha, da CIS/SERTIC. O maior valor encontrado foi de R$ 1,70 (o menor chegou a R$ 0,40). O preço médio do produto foi de R$ 1,07.

Outros itens também apresentaram diferenças consideráveis, principalmente em números absolutos:

– Lápis de cor Jumbão Ecolápis – caixa com 24 cores
Maior preço: R$ 63,90
Menor preço: R$ 28,90
Diferença: R$ 35,00 (121,11%)

– Caneta Hidrocor 850L Junior – 12 cores
Maior preço R$ 55,52
Menor preço: R$ 24,60
Diferença: R$ 30,92 (125,69%)

– Lápis de cor Aquarelável – caixa com 24 cores
Maior preço: R$ 46.90
Menor preço: R$ 20,40
Diferença: R$ 26,50 (129,9%)

É importante frisar que as variações constatadas estão ligadas aos dias em que a coleta foi realizada. Os preços praticados atualmente podem ser diferentes, já que estão sujeitos à alteração conforme a data da compra, inclusive, por ocasião de descontos especiais, ofertas e promoções.

Dicas

De acordo com a Fundação Procon-SP, antes de ir às compras, o consumidor deve verificar quais dos produtos da lista de material já possui em casa e, ainda, se estão em condição de uso. Promover a troca de livros didáticos entre alunos também garante economia.

Na lista de material, as escolas não podem exigir a aquisição de nenhum material escolar de uso coletivo (produtos para escritório, higiene ou limpeza, por exemplo), segundo determina a Lei nº 12.886, de 2013.

Além disso, algumas lojas concedem descontos para compras em grandes quantidades. Assim, pode ser interessante para o cliente se reunir com outros pais para uma compra coletiva.

O consumidor deve sempre verificar se o estabelecimento comercial pratica o preço diferenciado em função do instrumento de pagamento, como, por exemplo dinheiro, cheque, cartão de débito e de crédito.