Prefeitura de São José entrega três abrigos totalmente revitalizados

Share:
O abrigo para bebês, localizado à rua Clemente Ferreira 118, Monte Castelo, é um serviço de acolhimento provisório e excepcional para crianças de 0 a 6 anos de ambos os sexos que se encontram em situação de riscos pessoal e social e que estão sob medida de proteção. (Foto: Charles de Moura/PMSJC)

A Prefeitura de São José dos Campos, por meio da Secretaria de Apoio Social ao Cidadão, entregou nesta terça-feira (15) abrigos municipais totalmente revitalizados –Abrigo VIVA Masculino, Abrigo VIVA Feminino/LGBT e Abrigo VIVA Bebês.

Os abrigos integram o projeto VIVA (Vivência, Inserção, Valorização e Acolhimento), que visa o resgate da cidadania das pessoas por meio de um acolhimento mais humanizado, em espaços com atividades como oficinas, atendimentos em grupo e individualizados, desenvolvidos por equipes especializadas.

Coordenados pela Secretaria de Apoio Social ao Cidadão, os abrigos oferecem acolhimento pelo serviço social, banho quente, quatro refeições (café da manhã, almoço, café da tarde e jantar), pernoites, atendimento e acompanhamento psicossocial, oficinas e inclusão no Cadastro Único, para que tenham acesso aos outros programas e projetos intersetoriais, bem como acompanhamento e apoio para possam adquirir documentos e garantias de direitos e cidadania.

Os abrigos passaram por obras ou adequações para melhor atender as necessidades de acordo com o serviço que cada local oferece. Isto tudo foi previsto nos termos de colaboração do serviço de atendimento à população em situação de rua, que foram assinados pela Secretaria de Apoio Social ao Cidadão em 2018, quando foi definida a destinação de uma verba específica para implantação e/ou adequação dos espaços físicos (abrigos). O objetivo de tornar os espaços mais humanizados e aptos à realização dos novos serviços previstos.

Os acolhidos têm a possibilidade de receberem o auxílio moradia temporário, um recurso financeiro destinado à locação de imóveis possibilitando assim o desabrigo, na perspectiva de um novo projeto de vida.

Abrigo VIVA Feminino/LGBT

O serviço de acolhimento para mulheres e LGBT localizado na avenida Rui Barbosa, 162, no centro da cidade, tem como finalidade assegurar atendimento e atividades direcionadas para o desenvolvimento social, resgatar da autoestima na perspectiva de fortalecimento de vínculos interpessoais e/ou familiares para que assim possam ter oportunidade de construírem novos projetos de vida.

No abrigo são oferecidos trabalhos técnicos para a análise das demandas dos usuários, orientação individual e em grupo e encaminhamentos para a rede socioassistencial, demais políticas públicas para acompanhamento e inclusão em serviços. São oferecidos ainda acesso a benefícios que possam contribuir na construção da autonomia, da inserção social e da proteção às situações de violência.

Este serviço foi transferido de local para um imóvel mais adequado e amplo com padrões de qualidade quanto à higiene, acessibilidade, habitabilidade, salubridade, segurança e conforto; acesso à alimentação em padrões nutricionais adequados; e espaços reservados a manutenção da privacidade incluindo locais individuais para que possam guardar os pertences pessoais. O objetivo é um acolhimento digno para que possam ter sua identidade, integridade e história de vida preservadas.

O abrigo atendia 20 pessoas e hoje 30 mulheres são acolhidas. A verba de implantação deste serviço foi de R$ 70 mil. O recurso foi utilizado para aquisição de móveis, equipamentos e utensílios domésticos. As adequações no local já foram finalizadas.

Oficinas

Além das oficinas de artesanato que acontecem rotineiramente para as abrigadas, ainda são oferecidas oficinas socioeducativas com enfoque na geração de renda.

Como parte desse projeto, as abrigadas participam do “Empreender é Viver”, um projeto com foco no empreendedorismo feminino.

O objetivo do “Empreender é Viver” é incentivar o empreendedorismo por meio do conhecimento para que elas consigam alavancar suas atividades e com isso gerar renda.

Os participantes têm noções em Autoconhecimento para Empreender; Empreendedorismo e Formação de Novos Negócios; Controle Financeiro; Marketing; Práticas para Encantar seu Cliente.

Outro curso oferecido pelo Qualifica São José e que as abrigadas têm a oportunidade de participar, é o de Cuidador de Idosos.

Abrigo VIVA Masculino

A Prefeitura de São José dos Campos, por meio da Secretaria de Apoio Social ao Cidadão, concluiu a reforma e adequações no Abrigo VIVA Masculino (rua Guararapes, 37, Monte Castelo), realizadas nos últimos meses. Com isso, os moradores em situação de rua, que buscam por novas oportunidades, terão um espaço mais apropriado.

Foram trocadas camas e colchões; abertas novas portas de segurança, em caso de emergência; o refeitório foi ampliado; mais um banheiro foi construído; os chuveiros agora são com aquecimento à gás; novos armários individuais foram colocados para que todos possam guardar seus pertences pessoais; além de canis e gatis que foram construídos para que os animais possam ficar perto de seus donos.

O abrigo também ganhou um novo espaço para oficinas de qualificação profissional nas áreas de barbearia, informática e horta vertical, para que todos tenham a possibilidade de gerar renda. Essas oficinas têm como objetivo um novo olhar sobre a própria vida para a reinserção social, um trabalho realizado juntamente com a ampliação da equipe de assistente social que, em trabalho individualizado com os abrigados, irá ajudá-los a superar as dificuldades, como por exemplo, a reinserção no âmbito familiar e na autonomia da própria vida.

O prédio cumpre com as exigências para aquisição do atestado de vistoria do Corpo de Bombeiros.

Como o abrigo tem o caráter transitório, o objetivo da Administração é fazer com que os moradores em situação de rua aproveitem a oportunidade para se reorganizar e seguir o caminho de forma independente.

É importante ressaltar que esse trabalho de reinserção já vem sendo realizado pelas equipes dentro do abrigo. Como resultado desta iniciativa está a oportunidade que 12 abrigados estão tendo em participar como bolsistas do programa Pró-Trabalho.

Os abrigados irão participar dos cursos oferecidos pela Copertec (Cooperativa de Reciclagem). Serão 60 vagas para curso de capacitação durante 30 dias. Destes participantes, 5 serão selecionados para trabalho na cooperativa.

O abrigo disponibiliza hoje 120 vagas. A verba de implantação para adequação deste local foi de R$ 400 mil para contemplar as reformas/adequações no imóvel e aquisição de móveis, equipamentos e eletrodomésticos.

Abrigo VIVA Bebê

O abrigo para bebês, localizado à rua Clemente Ferreira 118, Monte Castelo, é um serviço de acolhimento provisório e excepcional para crianças de 0 a 6 anos de ambos os sexos que se encontram em situação de riscos pessoal e social e que estão sob medida de proteção (Art. 98 do Estatuto da Criança e do Adolescente) determinado pela Vara da Infância e Juventude, cujas famílias ou responsáveis encontram-se temporariamente impossibilitados de cumprir sua função de cuidado e proteção.

O atendimento prestado é personalizado e em pequenos grupos favorecendo o convívio familiar e comunitário, bem como a utilização dos equipamentos e serviços disponíveis na comunidade local com atendimento de 24 horas.

Toda criança após o acolhimento deverá ter um Plano Individual e Familiar de Atendimento – PIA. O objetivo é orientar o trabalho de intervenção durante o período de acolhimento, visando a superação das situações que ensejaram a aplicação da medida. É realizado um levantamento das particularidades, potencialidades e necessidades específicas de cada caso e assim traçado um plano com estratégias para o atendimento, tendo como perspectiva o desabrigo para família de origem ou substituta, em último caso para adoção.

Recentemente este serviço foi transferido de local, de um prédio em condições inadequadas para um outro imóvel da OSC (Organização da Sociedade Civil) Cruzada Assistencial Padre João Guimarães, que recebeu investimentos de reforma para atender aos requisitos previstos nos regulamentos existentes, ou seja, unidade inserida na comunidade com características residenciais, ambiente acolhedor e estrutura física adequada, visando o desenvolvimento de relações mais próximas do ambiente familiar e atendendo às necessidades das crianças, oferecendo condições de habitabilidade, higiene, salubridade, segurança, acessibilidade e privacidade.

Este serviço é desenvolvido pela Prefeitura em pareceria com a OSC e atualmente atende 22 crianças, mas com capacidade para atender 40 crianças de ambos os sexos.

O prédio cumpre com as exigências para aquisição do atestado de vistoria do corpo de bombeiros.

Família Acolhedora

No primeiro trimestre de 2019 será implantado o Projeto Família Acolhedora que consiste em cadastrar e capacitar famílias da comunidade para receberem em suas casas, por período determinado, crianças de 0 a 3 anos, em situação de riscos pessoal e social, encaminhadas pela Vara da Infância e Juventude. O objetivo é dar acolhida, amparo, aceitação, amor e a possibilidade da convivência familiar e comunitária a essas crianças.

Unidades de acolhimento que integram a rede Viva

Além das três unidades entregues na manhã desta terça-feira, o município ainda coloca à disposição os seguintes abrigos:

– Abrigo Viva Família e Indivíduos

– Abrigo VIVA Masculino para pessoas com limitações para vida diária

– 3 Abrigos VIVA Idosos

– 2 Abrigos VIVA Protegido para Mulheres

– 2 Abrigos VIVA para crianças de 7 a 11 anos

– 2 Abrigos VIVA para adolescentes de 12 a 17 anos