Ilhabela é pioneira no programa de coleta e reciclagem de bitucas de cigarro

Share:
A iniciativa desenvolvida pela Prefeitura do arquipélago, por meio da Secretaria de Meio Ambiente, consiste em posicionar coletores de bitucas em locais de grande fluxo, recolhê-las e reciclá-las, além da realização de oficinas, mutirões de limpeza e campanhas de conscientização. (Foto: Divulgação/PMI)

Ilhabela é a primeira cidade litorânea do Brasil a aderir ao programa de coleta e reciclagem de bitucas de cigarros; ao todo foram instalados 72 coletores nas ruas do município.

A iniciativa desenvolvida pela Prefeitura do arquipélago, por meio da Secretaria de Meio Ambiente, consiste em posicionar coletores de bitucas em locais de grande fluxo, recolhê-las e reciclá-las, além da realização de oficinas, mutirões de limpeza e campanhas de conscientização.

Os resíduos recolhidos são submetidos a um processo de reciclagem no qual são transformados em massa celulósica utilizando tecnologia 100% nacional desenvolvida pela UnB – Universidade de Brasília. A massa de celulose pode ser transformada em papel, cadernos e agendas.

No arquipélago, ainda são desenvolvidas atividades de conscientização da população local e dos turistas quanto aos impactos ambientais causados pelo cigarro. Estas ações têm o objetivo de promover uma mudança de hábito dos fumantes quanto ao descarte, utilizando os coletores da “Poiato Recicla”, disponibilizados pela Prefeitura.

Outras iniciativas desenvolvidas são oficinas de artes com material reciclado. Nas escolas há aulas para os professores de artes aprenderem a criar novos artigos com a massa celulósica e posteriormente replicarem aos alunos, bem como inserção da arte, educação ambiental e informação sobre malefícios do tabagismo na saúde e no meio ambiente

Também há aulas para artesãos de baixa renda para criação de novos artigos, com o objetivo de gerar renda. Além de palestras em escolas, órgãos públicos, autarquias e eventos; exposição do trabalho nas praias e reuniões; e mutirões de limpeza nas praias

Para o prefeito Márcio Tenório, possibilitar esta iniciativa é de suma importância. “Estamos cuidando de nossa Ilha, protegendo o meio ambiente, e orientando nossa população, é para isso que estamos aqui. Também recebemos muitos elogios de turistas que nos parabenizaram pelo trabalho”, ressaltou Tenório.

Neste ano, foram recolhidas cerca de 250 mil bitucas de cigarro, que sem os coletores seriam descartadas indevidamente nas praias e ruas de Ilhabela. Houve um aumento na quantidade apanhada no período, devido ao trabalho de divulgação e mudança de hábito da população, e a instalação de mais coletores a partir de julho.

Neste ano, foram recolhidas cerca de 250 mil bitucas de cigarro, que sem os coletores seriam descartadas indevidamente nas praias e ruas de Ilhabela, de acordo com a prefeitura. (Foto: Divulgação/PMI)

Para o arquipélago, este trabalho também traz pontuação no programa Município VerdeAzul do Governo do Estado de São Paulo, que tem como propósito medir e apoiar a eficiência da gestão ambiental, melhorar a limpeza pública, além de gerar impacto positivo para população e turistas quanto a preocupação e cuidado com o Meio Ambiente.

O programa também é recomendado pela A3P, do Ministério do Meio Ambiente, a adoção da A3P demonstra a preocupação em obter eficiência na atividade pública enquanto promove a preservação do meio ambiente

Para o futuro, o programa ainda prevê mais ações. No período de verão, o foco será em atividades voltadas ao turismo, como mutirões e exposições nas praias.

Benefícios para o Meio Ambiente

Ao inserir caixas coletoras com informes educacionais e temas ambientais e de saúde, cria-se um canal de comunicação entre a gestão pública e a população. Os objetos instalados nos pontos adequados passam a ter uma função social educativa, visto que conscientizam as pessoas dos malefícios do tabaco para saúde e para o meio ambiente;

O descarte de bitucas, causam prejuízos ambientais, consequentemente gerando maiores gastos aos cofres Públicos, como exemplo:

– 40% dos resíduos nas ruas é composto por bitucas. Quando chove, estes são despejados em esgotos, contaminando as águas e mares;

– 2 bitucas em um litro de água equivale à poluição causada por um litro de esgoto doméstico (Universidade de São Paulo);

– O descarte inadequado causa morte de peixes e animais aquáticos;

– Quando em contato com o solo, leva-se, em média, 15 anos para decomposição, além de entrar em contato com lençol freático;

– 25% das queimadas são provocadas por descarte de bituca, aumentando para 65% em tempos de estiagem.

Veja também