Aprenda a montar uma mesa de jantar para encantar os convidados no Natal

Por: Share:

A ceia natalina teve origem no antigo costume europeu de abrir as portas da casa para receber os peregrinos que passavam pela cidade no dia do Natal. Oferecer comida, usar a melhor louça e decorar a sala de jantar eram princípios básicos da hospitalidade, símbolo da data cristã. Essa tradição, no entanto, permanece viva até hoje e requer disposição e criatividade dos anfitriões.

Igor Lacerda Salmazo, docente da área de eventos do Senac Pindamonhangaba, explica que a mesa de jantar é um local para socialização. Por isso, arranjos baixos, permitindo aos convidados o contato olho no olho, são os mais indicados. Quem gosta de flores deve escolher as espécies com pouco ou quase nenhum perfume, para não haver conflito com o aroma dos alimentos.

“A comida tem de ser organizada da forma mais confortável para atender a quantidade de pessoas presentes. O estilo americano, que utiliza aparadores para acomodar as travessas, é o mais usual. Ao optar por essa estratégia, o ideal é agrupar os alimentos, como salada com salada, proteínas ao lado das outras proteínas, doces com doces, e assim por diante.”

Caso seja adotado o estilo brasileiro, com as travessas sobre a mesa na qual acontecerá a refeição, é necessário cuidado para não deixar os alimentos amontoados entre os itens de decoração ou entre as louças e talheres. O tamanho e o número de travessas sobre a mesa precisam ser reduzidos, e os alimentos repostos ao longo do jantar.

“Louças, talheres e copos também têm sua forma correta de estar posicionados à mesa. O prato fica no centro, a faca e a colher do lado direito, e o garfo, do lado esquerdo. O copos permanecem acima dos talheres do lado direito. O guardanapo pode ser utilizado no centro do prato ou ao lado esquerdo dele, logo após o garfo.”

Anfitrião

Uma dica para surpreender os convidados, com baixo investimento, é repaginar os itens que já fazem parte da decoração do lar: sobrepor toalhas, criar arranjos com laços e fitas, além de caprichar no espírito festivo. Vermelho (amor), dourado (luz), branco (pureza) e verde (esperança) são cores clássicas e não podem faltar na decoração.

“Acima de tudo, o que prevalece é receber bem os convidados, planejar cada detalhe pensando no bem-estar e no acolhimento dos visitantes. Não existe magia do Natal quando a decoração encanta, mas os convidados não se sentem à vontade. Usar o bom-senso é primordial”, finaliza Igor.