Museu Mazzaropi consolida-se como fonte de informações sobre a vida e a obra do artista

Share:
(Foto: Divulgação)

Ator, comediante, diretor, produtor, cantor, intérprete do imortal personagem Jeca Tatu, sucesso de público e crítica e apresentador de TV. Amácio Mazzaropi foi tudo isso, e hoje sua trajetória é fundamental para quem deseja conhecer profundamente a história do cinema brasileiro.

E é neste contexto que o Museu Mazzaropi, localizado em Taubaté, onde funcionavam os estúdios da PAM Filmes, consolida-se como a principal fonte de informações sobre a vida e a obra desse paulistano, morto em 1981, aos 69 anos, bem como para pesquisas científicas.

Fundado em 1992, o Museu é o mais representativo na atualidade sobre o artista e conta com mais de 20 mil itens de sua vida e obra. O acervo está dividido em cinco setores.

No museológico há cartazes e quadros com cenas dos filmes, equipamentos de cinema, imagem e som e, ainda, mobiliários, adereços, acessórios e vestuários. No de fotografias há negativos, cópias e versões em papel ou digitais. Já do bibliográfico fazem parte livros, enquanto no audiovisual existem caixas com rolos de filme de 16 mm, CDs e DVDs. Por fim, o arquivístico exibe pastas e documentos em papel.

O espaço exibe ainda dados e imagens da Fazenda da Santa, que fica na zona rural de Taubaté e foi o primeiro estúdio independente de Amácio – e que atualmente está fechada para visitação.

Amácio Mazzaropi acumulou fortuna graças a filmes como Zé do Periquito, O Corintiano, As Aventuras de Pedros Malasartes, Candinho e O Lamparina, em que é confundido com um cangaceiro. Também gostava de cantar músicas idealizadas pelo maestro Elpídio dos Santos, como a famosa Izabel Não Chores, ou outros compositores, como Angelino de Oliveira, que escreveu Tristeza do Jeca.

Centenas de estudantes, pesquisadores, fãs e curiosos visitam o Museu todos os meses, que funciona de terça-feira a domingo, das 8h30 às 12h. Os ingressos custam a partir de R$ 6. Menores de 7 anos, maiores de 60 e hóspedes do Hotel Fazenda Mazzaropi, que fica na mesma propriedade, não pagam. Também é possível fazer um tour virtual no link https://museumazzaropi.org.br/sobre-o-museu/.

Atualmente, o Museu é mantido pelo Instituto Mazzaropi, que frequentemente organiza exposições itinerantes e eventos como a Semana Mazzaropi, tradicionalmente realizada em abril de cada ano.

Mais informações podem ser obtidas no telefone (12) 3634.3447, site www.museumazzaropi.org.br e e.mail info@museumazzaropi.com.br.