Mutirão pós-finados encontra criadouros em cemitérios em Taubaté

Por: Share:
agentes de controle de vetores estiveram nos cemitérios do Belém, Quiririm e São Benedito. (Foto: Divulgação/PMT)

Mutirão de fiscalização realizado pelas equipes do Controle de Animais Sinantrópicos (CAS) de Taubaté na última segunda-feira, dia 5 de novembro, identificou criadouros do mosquito Aedes aegypti nos cemitérios após o feriado de Finados.

Os agentes de controle de vetores estiveram nos cemitérios do Belém, Quiririm e São Benedito. No Cemitério Municipal do Belém, por exemplo, foram recolhidos 20 sacos de lixo de 100 litros cada. A maioria dos recipientes com água e larvas recolhidos foi de vasos, copos, plásticos e embalagens dos produtos comercializados no entorno do cemitério. O mau estado de conservação dos túmulos também foi um dos responsáveis pelos criadouros nos cemitérios.

A Secretaria de Saúde de Taubaté reforça a necessidade de conscientização da população, já que cabe às famílias o combate aos criadouros do mosquito responsável pela transmissão da dengue, zika e chikungunya.
A partir deste mês serão reforçadas as ações em áreas consideradas mais críticas e função dos resultados da Análise de Densidade Larvária (ADL) de primavera, realizada em outubro. O indicador chegou a 2,6 pontos no IB (Índice Breteau).

De acordo com o Ministério da Saúde, o índice de tranquilidade é 1,0 ou menos. Acima do nível de 1,5 há risco de epidemia. Os resultados indicam que seis das dez regiões de Taubaté estão dentro do risco de epidemia. Na amostragem de outubro, o destaque fica para as regiões 8 e 9, que apresentaram índices de 0,83 e 0,17, respectivamente. Com IB de 8,96 a região 10 é a que apresenta o maior indicador.

Taubaté chegou a outubro com 53 casos positivos de dengue, 7 casos positivos de chikungunya e nenhum caso de zika. O número reduzido de ocorrências mostra que o envolvimento da população nas ações de prevenção e combate ao mosquito Aedes aegypti traz resultados.

Veja também