Em entrevista à TV Aparecida, Bolsonaro fala de suposto fim do feriado de 12 de outubro

Por: Share:
A jornalista Luara Castilho foi recebida na casa do Presidente, no Rio de Janeiro, e a matéria exibida nos telejornais da emissora católica. (Foto: TV Aparecida)

A TV Aparecida exibiu, nesta segunda-feira (5), a primeira entrevista feita pelo seu jornalismo com Jair Bolsonaro, após ele ser eleito Presidente da República. A jornalista Luara Castilho foi recebida na casa do Presidente, no Rio de Janeiro, e a matéria exibida nos telejornais da emissora católica.

Além de discorrer sobre temas como reforma da previdência, economia, imigração venezuelana e crescimento do emprego no País, Jair Bolsonaro ainda falou de polêmicas como a legalização do aborto e a suposta suspensão do feriado de 12 de outubro, Dia da Padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida. Vale lembrar que durante a campanha presidencial, uma das notícias que vieram à tona foi o fim do feriado do dia 12 de outubro. Questionado pela repórter da TV Aparecida, Bolsonaro classificou a informação como falsa:

“O fake News; mais uma mentira da esquerda, entre tantas e tantas outras. Me mostre um pedaço de papel, uma fala minha, uma imagem minha dizendo isso aí. Me acusaram de tudo”. (…) Então, o feriado vai continuar existindo, e é nossa Padroeira, eu sou católico, e vamos respeitar as religiões”, disse.

Entrevista completa

Crescimento da renda, emprego e a economia

“A nossa equipe econômica trabalha com esse objetivo. Nós devemos desburocratizar muita coisa, buscar parcerias com o mundo todo, sem o viés ideológico”.

“O Estado tem que colaborar, tem que ajudar quem quer empregar e não fazer o contrário”.

Reforma da Previdência

“Fala-se muito em 65 anos [idade mínima sugerida para aposentadoria dos homens], você não pode generalizar. Tem certas atividades que nem os 60 é compatível à aposentadoria. Nós devemos manter essas questões. (…) O serviço público, por exemplo, nós devemos acabar com as incorporações. Depois de algum tempo – não são todos – mas alguns servidores incorporam os cargos de comissão que desempenhavam até aquele momento. Mas o grande passo no meu entender, esse ano, se for possível, vamos passar para 61 anos no serviço público para o homem, e 56 para a mulher, e majorar também um ano nas demais carreiras. Acredito que seja um bom começo pra gente entrar no ano que vem já tendo algo de concreto pra nos ajudar na economia”.

Legalização do Aborto

“O compromisso que eu tenho é não deixar ampliar o aborto em hipótese alguma… Indicando e considerando, porém, os casos de estupro, risco de morte para a mãe (gravidez tubária) e anencefalia, discutida pelo Supremo.

Imigração de Venezuelanos

“Vamos reconhecer a situação da Venezuela. Está fugindo da ditadura, da fome e da violência. Mas o governo federal tem que tomar também medidas contra o governo Maduro. E não apenas acolher e deixar que se resolvam as coisas naturalmente. Não se resolve naturalmente. Nós já temos uma série de problemas internos aqui”.

Veja também