Varejo da região deve contratar 1550 temporários para o fim do ano

Por: Share:
Segundo o Sincovat, as contratações devem cair 3% em relação a 2017; no entanto novas regras trabalhistas podem facilitar contratos. (Foto: Divulgação)

O comércio varejista da RM Vale deve contratar 1550 trabalhadores temporários para o fim do ano, leve redução de 3% em relação aos 1600 em 2017. A estimativa é do Sincovat (Sindicato do Comércio Varejista de Taubaté e região). Essas admissões atenderão ao movimento mais intenso de clientes decorrente do período de festas, que se inicia em outubro e ganha força em novembro, mês que historicamente registra a maior geração líquida de vagas formais no varejo paulista.

Metade das vagas devem ser abertas pelo varejo de vestuário, tecidos e calçados. Os supermercados concentrarão cerca de 25% das oportunidades e o restante será dividido, principalmente, entre os segmentos de eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos, lojas de móveis e decoração, farmácias e perfumarias.

Para o presidente da entidade, Dan Guinsburg, a ligeira queda de contratações temporárias notada este ano se dá pelo aumento das incertezas do ambiente econômico. O cenário atual mostra uma desaceleração no ritmo de recuperação da economia brasileira, uma reação tímida do emprego, dúvidas no âmbito eleitoral e o consumo ainda com pouco fôlego. “O empresário do comércio deve adotar uma postura mais cautelosa em relação às decisões de investimento, inclusive em mão de obra. Mas, por outro lado, é o melhor período de vendas do ano. O lojista precisa se preparar e as contratações irão acontecer, mesmo que um pouquinho mais tímidas”, explica Dan.

Tradicionalmente, de 10 a 15% dos funcionários temporários acabam efetivados após o período do Natal. “É uma ótima oportunidade para quem está entrando. Basta encarar com bastante seriedade e atender bem os clientes para aproveitar as vagas efetivas que acabam surgindo, pois ninguém dispensa um bom funcionário”, comenta o presidente do Sincovat.

Varejo Paulista

No Estado de São Paulo, o varejo deve contratar 23 mil trabalhadores temporários para as festas de Natal. Só a Capital deverá absorver cerca de 10 novos colaboradores.