Palmeiras vence o São Paulo no Morumbi e se isola na liderança do Brasileirão

Por: Share:

O Palmeiras mostrou neste sábado (6) sua força para ser campeão brasileiro. No clássico Choque-Rei com o São Paulo, o time de Felipão jogou com muita segurança e venceu por 2 a 0, com gols do zagueiro Gustavo Gómez e o atacante Deyverson ainda no primeiro tempo. O resultado, além de isolar o clube na liderança do Campeonato Brasileiro, ainda derrubou um tabu de 16 anos sem vencer no Morumbi.

A última vitória do Palmeiras na casa do rival tinha sido no dia 20 de março de 2002, quando Alex comandou o triunfo por 4 a 2 no extinto Torneio Rio-São Paulo. Com o fim do tabu, o elenco de Felipão pode comemorar a liderança do Campeonato Brasileiro, com 56 pontos. Já o São Paulo segue com 52 e fica na quarta colocação.

Em um primeiro tempo tenebroso para o time do São Paulo, o Palmeiras conseguiu construir a vitória importantíssima para se manter na liderança da competição. Com apenas nove minutos, Sidão se enrolou na reposição e deixou a bola nos pés de Deyverson, que tentou bater rasteiro, mas pegou fraco na bola. Antes, o goleiro tocou com o braço fora da grande área, mas o árbitro entendeu como lance normal e nada marcou.

Nervoso, o São Paulo não conseguia conter a velocidade do Palmeiras e acabou abusando das faltas no meio de campo, para tentar conter o contra-ataque. A primeira e única oportunidade real para o time da casa saiu aos 26 minutos, quando Anderson Martins tocou de cabeça e Rodrigo Caio quase completou no segundo pau, mas ele perdeu o tempo de bola e deixa ela passar, em lance que poderia ter mudado a história da partida.

Mais tarde, aos 33, em cobrança de escanteio pela direita, Dudu mandou quase na linha de pequena área. Anderson Martins não conseguiu afastar e o zagueiro Gustavo Gómez apareceu muito bem, sem marcação, para testar firme no chão. A bola quicou e morreu no fundo das redes, abrindo o placar no Morumbi. Em seguida, com 37, em contra-ataque rápido, Mayke cruzou bonito para Deyverson também completar de cabeça.

O São Paulo, até então invicto como mandante, saiu de campo vaiado pela torcida, que lotou a arquibancada. Diego Aguirre tentou mexer no time para o segundo tempo e apostou em Gonzalo Carneiro no lugar de Nenê e Everton na vaga de Rodrigo Caio, com uma formação mais ofensiva, mas sem velocidade.

Aos poucos o jogo foi tomando caminhos pragmáticos. O Palmeiras, com a segunda melhor defesa do campeonato, administrava muito bem a vantagem, sem sofrer, mas também desperdiçava muitas oportunidades de aumentar ainda mais o placar. Dudu teve pelo menos duas chances de decidir o jogo, mas acabou tomando decisões erradas e facilitou para a marcação, que conseguia afastar.

Com dois jogadores fortes no jogo aéreo, como Diego Souza e Carneiro, o São Paulo não conseguia acertar nenhum cruzamento para tentar mexer com a história da partida. Pelo contrário, quando conseguia manter a posse de bola, o time trocava passes no campo defensivo, buscando um espaço entre as linhas do adversário.

Nos minutos finais o São Paulo finalmente conseguiu ensaiar uma pressão. A torcida pediu e Aguirre atendeu, investindo em Tréllez no lugar de Diego Souza. A substituição deu mais qualidade para o time, que assustou Weverton em duas oportunidades, ambas com Rojas, mas o equatoriano acabou chutando em cima do goleiro, aos 37 e aos 41 minutos do segundo tempo.

No próximo domingo (14), às 16h, o São Paulo viaja para Porto Alegre enfrentar o Internacional no Beira-Rio, pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro. Já o Palmeiras vai receber o Grêmio no Allianz Parque, também às 16h.