Com palestras e eventos, Prefeitura de São José amplia divulgação sobre Panc’s

Por: Share:
Funcionários preparam mesa com Panc’s; 1ª edição da Roda de Conversa teve palestras, degustação e distribuição de mudas. ( Foto: Divulgação/PMSJC)

Com o objetivo de se informar sobre alimentação saudável e boas práticas alternativas na área de culinária, um grupo de 40 pessoas participou nesta terça-feira (16) da primeira Roda de Conversa sobre Panc’s (Plantas Alimentícias Não Convencionais).

O evento foi promovido pela Prefeitura de São José dos Campos em comemoração ao Dia Mundial da Alimentação.

A Roda de Conversa sobre Panc’s será mensal, integrando um novo projeto desenvolvido em conjunto pelas secretarias de Saúde, através do Programa de Nutrição do Departamento de Atenção Básica, e Urbanismo e Sustentabilidade, por meio da Divisão de Educação Ambiental.

As palestras e eventos serão abertos à população, tendo também como públicos-alvo os servidores envolvidos com o Projeto de Hortas Comunitárias nas UBS’s (Unidades Básicas de Saúde) e os pacientes voluntários das hortas.

Na primeira edição, o tema foi capuchinha, Panc muito utilizada na alimentação em diversos países. Durante mais de uma hora, a coordenadora do programa de Nutrição da Prefeitura, Elizabeth Bismarck, e a educadora ambiental da Divisão de Educação Ambiental da Seurbs, Elisa Farinha, ministraram palestras sobre o valor nutricional, o modo de consumo e o cultivo da capuchinha.

Ao final do evento no Centro da Juventude, os participantes puderam degustar a a Panc in natura e em preparações.
Também foram realizadas distribuição de mudas e exposição de vasos.

Multiplicadores

Munícipes que acompanharam a primeira Roda de Conversa sobre Panc’s disseram que vão divulgar para seus familiares e amigos os conhecimentos adquiridos durante a palestra, atuando como multiplicadores. “A Prefeitura de São José está de parabéns por esta iniciativa. As Panc’s ajudaram muito a melhorar minha saúde. Aprendi bastante sobre a capuchinha e vou difundir este conhecimento junto aos meus familiares e amigos”, disse a dona de casa Conceição da Silva Reis, 60 anos.

Ela é uma das fundadores da Horta Comunitária, que funciona na UBS (Unidade Básica de Saúde) do Bosque dos Eucaliptos, na zona sul.
Também participante de uma Horta Comunitária, mas a do Jardim Paraíso do Sol, na zona leste, a aposentada Tereza Tieko Miura, 53 anos, elogiou a iniciativa da Prefeitura.

“As Panc’s vieram para ficar e têm sido muito úteis. Já ajudou a melhorar a minha saúde e da minha família. Estas palestras que a Prefeitura fará todos os meses contribuirão para que tenhamos uma alimentação mais saudável. Pretendo participar de todas.”

Capuchinha

Com flores das mais diferentes cores e folhas arredondadas, seu sabor é picante e lembra o agrião. Suas folhas, ricas em vitamina C, podem ser usadas em saladas, omeletes e tortas. Suas flores, além de vitamina C, são ricas em carotenoides e antocianinas. São bem versáteis e famosas na culinária, combinando com saladas, carnes e queijos. Seus frutos também podem ser usados, podendo ser transformados em picles.

Alimentação saudável

As Panc’s representam um grupo de hortaliças rústicas, que desenvolvem-se bem em pequenos espaços, sem necessidade de uso de agrotóxico. Elas tinham seu consumo habitual dentro das organizações familiares, o que foi se perdendo com a modernização da indústria e da agricultura.

Com as Panc’s tem-se resgatado o consumo destas hortaliças, valorizando a cultura e o conhecimento regional, além de permitir o acesso a alimentos orgânicos, de baixo custo e alto valor nutricional.

Educação nutricional

O Programa de Nutrição da Prefeitura conta atualmente com grupos de educação nutricional em 19 das 40 unidades básicas de saúde, com frequência semanal e duração de uma hora. Esses grupos são conduzidos por nutricionistas e não necessitam de encaminhamento para participação, sendo necessária apenas a apresentação do cartão SUS (Sistema Único de Saúde).

Há seis anos, o Dia Mundial da Alimentação é comemorado com temas propostos pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), que contemplam questões referentes à agricultura familiar, sustentabilidade, sistemas alimentares saudáveis e mudanças climáticas.

Neste ano, o tema proposto pela FAO/OMS é: “Fome Zero: erradicar a fome no mundo até 2030”. A promoção da alimentação saudável, bem como sua produção de forma sustentável e orgânica, consiste numa das principais ferramentas de saúde pública para prevenção de doenças e agravos não transmissíveis, como câncer, diabetes, hipertensão e obesidade, entre outras.