Brasil conquista duas medalhas na Olimpíada da Juventude

Por: Share:
(Foto: Letícia e Lucas, medalhistas (Wagner Carmo/CBAt)

O Brasil conquistou duas medalhas de bronze nesta terça-feira (dia 16), último dia de disputas do torneio de Atletismo dos Jogos Olímpicos da Juventude, em Buenos Aires. Os dois pódios foram obtidos por Lucas Conceição Vilar e Letícia Maria Lima nas provas dos 200 m, na pista do Parque Olímpico, sob sol e calor. A competição foi disputada em dois estágios e os ganhadores de medalhas foram apurados na soma dos resultados.

Buenos Aires é a terceira edição dos Jogos. Agora, o Brasil soma cinco medalhas no Atletismo. Em Cingapura 2010, a Seleção conquistou duas de ouro com Caio Cezar Fernandes dos Santos (salto em distância e revezamento medley) e uma prata com Thiago Braz da Silva (salto com vara). Em Nanquin 2014, a melhor colocação foi a de Mikael de Jesus, quarto nos 400 m com barreiras.

O paulista Lucas Conceição conquistou a primeira medalha. Ele havia sido o quinto colocado no primeiro estágio, com 21.68 (1.7), e foi o segundo nesta terça-feira, com 20.99 (0.1), estabelecendo novo recorde pessoal. No geral, somou o tempo de 42.67, ficando atrás apenas de Abdelaziz Mohamed, do Catar, e de Antonio Watson, da Jamaica, que ficaram com o ouro e a prata, respectivamente.

Nascido a 10 de março de 2001, na cidade de Limeira, Lucas é treinado por Nelson Lemes de Souza no Águias Guariba (SP). Fã de Usain Bolt, o velocista é campeão brasileiro e sul-americano dos 200 m sub-18 e vice-campeão mundial escolar da mesma prova.

Poucos minutos depois foi a vez da piauiense Letícia Maria assegurar a primeira medalha feminina do Atletismo na história dos Jogos da Juventude. Ela havia ficado em segundo lugar na classificação geral do primeiro estágio, com 24.16 (1.1). Neste terça, correu a prova em 23.71 (1.9), terminando em terceiro, atrás da italiana Dalia Kaddari (23.45) e da islandesa Gudbjorg Bjarnadottir (23.47).

Na somatória, Letícia acumulou 47.87, ficando com o bronze. Gudbjorg foi ouro, com 47.02, seguida de Dalia, com 47.69.

Treinada por Antonio Nilson de Souza, em Teresina, onde nasceu a 30 de abril de 2001, Letícia tem muitos títulos na carreira. Ela é campeã brasileira dos 100 e dos 200 m sub-18 e dos 200 m sub-20, além de campeã e recordista dos 100 e dos 200 m do Troféu Norte-Nordeste Caixa Adulto.

Nos 400 m com barreiras, a paulista Jéssica Vitória Moreira viveu um drama. Ela estava em segundo lugar na última das três séries e tropeçou na 10ª e última barreira. Deixou de ganhar a medalha de prata, já que havia sido a segunda colocada geral do primeiro estágio, com 59.41. Jéssica cruzou a linha de chegada andando, com o tempo de 1:06.13, terminando em 14º lugar no geral, com 2:05.54 no acumulado.

Ela chorou muito e foi confortada pelas companheiras de prova, ainda na pista. O pódio foi formado pela colombiana Valeria Cabezas Caracas, pela argelina Loubna Benhadja e pela espanhola Carla Garcia.

Nos 400 m com barreiras masculino, Caio de Almeida Teixeira terminou o segundo estágio em sétimo lugar, com 55.65. Na somatória, ficou em oitavo, com 1:47.92. O ouro foi para o japonês Haruto Deguchi, ficando o húngaro Daniel Huller com a prata e o saudita Mohammed Duhaim Almuawi com o bronze.

O paulista Marcos Paulo Ferreira terminou em quinto lugar nos 110 m com barreiras, somando o tempo de 27.39 nos dois estágios. Nesta terça, ficou na quinta posição, com 13.62 (1.2), novo recorde pessoal. O pódio foi formado por Owaab Barrow, do Catar, Kenny Fletcher, da França, e Lok Hei Wong, de Hongcong.

No lançamento do dardo, o paraibano Guilherme Moreira Soares terminou em nono lugar no geral, com 141,53 m. Ele havia ficado em oitavo na estreia e obteve o nono na segunda participação, com 68,97 m. O pódio teve, pela ordem, o finlandês Topias Laine, o argentino Gustavo Osorio e o tcheco Martin Florian.

Na prova feminina, a sul-mato-grossense Bruna Vieira de Jesus ficou em nono na classificação final, com 95,29 m, na somatória dos dois estágios. Ela conseguiu 47,93 m no primeiro e 47,36 m no segundo, terminando na nona posição nos dois. O pódio foi formado pela grega Elina Tzengko, pela equatoriana Juleisy Angulo e pela turca Munevver Hanci, pela ordem.

No salto triplo, a maranhense radicada em Mato Grosso Nerisnelia dos Santos Sousa repetiu a oitava posição do primeiro estágio, com 12,48 m (1.2). Com isso, terminou em oitavo, com 25,14 m. A búlgara Aleksandra Nacheva ficou com o ouro. A espanhola Maria Vicente levou a prata e a russa Mariya Privalova garantiu o bronze.

“Fizemos uma competição muito boa e quero dar os parabéns para todos os atletas, medalhistas ou não. Muitos conseguiram durante os Jogos as melhores performances da carreira e isso foi muito importante para o resultado final”, comentou o presidente da Confederação Brasileira de Atletismo Warlindo Carneiro da Silva Filho. “A nossa campanha melhorou muito em relação aos Jogos Olímpicos de 2014, na China, quando não conseguimos medalha”, lembrou.

Os brasileiros entre os 8 primeiros:
Bronze – Letícia Maria Lima – 200 m
Bronze – Lucas Conceição Vilar – 200 m
4ª – Erica Geni Cavalheiro – 400 m
4º – Adrian Henrique Vieira – salto em distância
5º – Vitor Gabriel Motim – lançamento do disco
5º – Elton Junio Petronilho – salto em altura
5º – Marcos Paulo Ferreira – 110 m com barreiras
8ª – Lissandra Maysa Maciel – salto em distância
8ª – Rafaela Cristine de Sousa – arremesso do peso
8º – Caio de Almeida Teixeira – 400 m com barreiras
8ª – Nerisnelia dos Santos Sousa – salto triplo