Avaliação de densidade larvária é realizada em Ilhabela

Por: Share:

A Prefeitura de Ilhabela, através da Secretaria de Saúde, finalizou a Avaliação de Densidade Larvária, levantamento preconizado pela Sucen (Superintendência de Controle de Endemias), do Ministério da Saúde, na última semana. A iniciativa teve por objetivo, avaliar os níveis de infestação de larvas do Aedes aegypti, transmissor da dengue, Chikungunya e Zika vírus, no arquipélago.

Ao todo, 843 imóveis foram visitados para realização do estudo, que teve como resultado o índice de 1,2. O número é considerado de alerta e o levantamento será utilizado para desenvolvimento de ações de combate às arboviroses. Os bairros detectados com maior número de larvas do mosquito Aedes aegypti foram Barra Velha, Água Branca, Reino, Itaguassú, Armação e Bexiga.

De acordo com o Ministério da Saúde, quando o índice obtido é menor que 1,0 o resultado é considerado Satisfatório; de 1,0 a 3,9 de Estado de Alert; e acima de 4,0 de Alto Risco.

Para o responsável pelo departamento de Controle de Vetores, Mário Otávio de Carvalho, 85% dos criadouros do mosquito estão nos imóveis residenciais. “É necessário que a população colabore cada vez mais e promova a limpeza de seu imóvel periodicamente. Estamos nos aproximando do verão, época tradicionalmente marcada pelo calor e chuva, uma combinação que favorece a proliferação de larvas do mosquito”, frisou Carvalho.

A Secretaria de Saúde conta com os agentes de Controle de Vetores que realizam ações permanentes, a fim de eliminar os criadouros dos mosquitos transmissores. O trabalho de prevenção é realizado de casa em casa, onde as equipes percorrem diariamente os imóveis, orientando os moradores e eliminando possíveis criadouros, inclusive aos sábados.

Semanalmente são realizadas ações de visitas em 29 Pontos Estratégicos (P.E.), ou seja, borracharias, depósitos, oficina mecânica, marianas, floricultura e galpões de materiais recicláveis. Bem como, os 51 Imóveis Especiais (I.E.), localizados na cidade, espaços com grande circulação de pessoas, a exemplo de unidades de saúde, supermercados e escolas.

A prevenção é uma das principais maneiras de evitar as doenças.

Dicas:

Não jogar lixo em terrenos baldios

Encher de areia os pratinhos de plantas

Evitar plantas aquáticas

Não acumular entulho e lixo

Manter a piscina sempre tratada com cloro

Retirar a água acumulada da laje

Manter a lixeira sempre fechada

Guardar pneus em lugares cobertos

Guardar garrafas e baldes sempre virados para baixo

Lavar pelo menos duas vezes por semana, com água e sabão, os vasilhames onde é servida água para animais domésticos

Manter bem tampados caixas e reservatórios de água

Manter a tampa do vaso sanitário abaixada

Fechar com plástico e fita adesiva, as caixas de descarga que não tiverem tampa

Fechar a tampa dos ralos internos ou cobrí-los com tapetes ou objetos ao sair de casa

Substituir a bromélia por outro tipo de planta que não acumule água