Ações do Outubro Rosa continuam em Pindamonhangaba

Por: Share:
Carreta da Mamografia, caminhada rosa e arrecadação de lenços fazem parte da programação. (Foto: Divulgação/PMP)

A Secretaria de Saúde de Pindamonhangaba continua, nesta semana, as ações em celebração do Outubro Rosa, mês em que se dá visibilidade à conscientização e prevenção ao câncer de mama.

Nesta terça-feira (16), a carreta da mamografia começa a atender as mulheres do município. Para o atendimento, serão distribuídas diariamente 50 senhas válidas somente para aquele dia.

Os exames serão feitos de segunda a sexta-feira, das 9 às 13 horas. Mulheres de 35 a 49 anos precisam apresentar o pedido médico, cartão SUS e RG; acima de 50 anos serão necessários apenas o RG e o cartão SUS. Os exames poderão ser retirados no prédio da Saúde da Mulher que fica na rua João Gama, 115, São Benedito (o antigo PA da Unimed).

Arrecadação de lenços

Dando prosseguimento às ações, ocorre também na cidade, a arrecadação de lenços de cabeça para a ONG (Organização Não Governamental) Casa Gesto, de Taubaté. Atualmente, a ONG funciona como casa de apoio às pacientes que passam por tratamento oncológico no Hospital Regional de Taubaté.

De acordo com a Secretaria de Saúde, haverá postos de coleta em toda a cidade até o fim do mês. As doações poderão ser deixadas no Fundo Social de Solidariedade, no prédio da Saúde da Mulher ou na sede da Prefeitura de Pindamonhangaba.

Caminhada Rosa

No sábado (20), acontece a décima edição da “Caminhada Outubro Rosa”, com saída da Praça Monsenhor Marcondes, a partir das 9 horas. Os principais objetivos são estimular a conscientização do câncer de mama e a importância da atividade física.

O bairro Araretama recebeu também no último domingo (14), uma caminhada em conscientização ao câncer de mama, o momento contou também com breves falas sobre a prevenção e o auto-exame.

Conscientização e prevenção

Além das ações pontuais na cidade, todos os postos de saúde dos bairros estão realizando programações especiais sobre o Outubro Rosa, com a realização dos exames, palestras e outras formas de conscientização.

O Instituto Nacional de Câncer (INCA) estima que, em 2018, cerca de 60 mil novos casos da doença sejam diagnosticados. Em 2016, de acordo com o Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DataSUS), mais de 16 mil mulheres morreram por causa da doença. Por isso, a detecção precoce é a chave para o sucesso no tratamento.