Acadêmico de Taubaté desenvolve projeto Biodigestor para geração de energia limpa e sustentável

Por: Share:

O estudante do curso de Engenharia Elétrica da Anhanguera de Taubaté, Stevam Cosme, desenvolveu projeto de um biodigestor experimental economicamente viável para a geração de energia elétrica, utilizando biogás produzido a partir da degradação anaeróbica de esterco bovino. A matéria orgânica obtida no biodigestor pode, ainda, ser utilizada como biofertilizante nos pastos das áreas de fazendas.

Entre as vantagens do biodigestor estão: fazer o saneamento básico de uma comunidade; evitar a poluição do meio ambiente com os dejetos orgânicos; além de combater o aquecimento global. O biogás pode ser utilizado, ainda, como combustível, em substituição ao gás natural, ou ao GLP (Gás Liquefeito de Petróleo), que são extraídos de reservas minerais.

O projeto Biodigestor do acadêmico da Anhanguera visa proporcionar economia financeira à uma comunidade, com a geração de energia limpa e sustentável, além de poder fertilizar alimentos de maneira mais saudável. A implantação do primeiro projeto sem fins lucrativos, e em modo de experimental, será na comunidade Betel Terapêutica, que atua na reabilitação de dependentes químicos, em Caçapava.

A princípio, o propósito é promover redução de custo de cinco botijões que são utilizados por mês na clínica de reabilitação, o que equivale, hoje, a uma despesa de R$ 325,00 mensais. O biodigestor será alimentado por verduras, legumes e frutas doados pelo CEASA (Central Estadual de Abastecimento), e que seriam jogados fora. “Além do uso do biogás na cozinha, a proposta é que seja utilizado também para a instalação de um chuveiro aquecido com o biogás gerado no local”, explica o estudante Stevam Cosme. O projeto também será utilizado como biofertilizante, rico em micro e macro nutrientes, nas hortaliças do local. “Com isso, pretendemos aumentar o tamanho da horta mantida pela comunidade, visando a comercialização das hortaliças como produto orgânico”, complementa o acadêmico.

“É uma grande satisfação ver os alunos de engenharia elétrica usando a ciência, a tecnologia e suas inteligências a favor da sociedade, e pensando no bem estar do próximo e do nosso planeta”, exalta a coordenadora do curso de Engenharia Elétrica da Anhanguera de Taubaté, professora Débora Cervellini Sant Anna. “O aluno idealizador e executor do projeto se empenha para poder levar sua ideia de energia sustentável às pessoas, conscientizando-as da importância para a vida de todos”, comemora a docente.